A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, decidiu enviar, nesta segunda-feira (18), uma manifestação ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin.

Dodge confirmou a rescisão dos acordos de delação premiada de Joesley Batista e Ricardo Saud feitos com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Ela rebateu a defesa dos réus afirmando que eles descumpriram o acordo feito. De acordo com Dodge, Joesley e Saud esconderam fatos criminosos para tentar proteger aliados. Sem que ela citasse nomes, podemos entender que um desses aliados seria o ministro Gilmar Mendes.

O manifesto da procuradora-geral aconteceu horas depois de Mendes começar uma verdadeira devastação na Operação Lava Jato.

Ele soltou vários condenados e acabou sendo alvo de críticas pesadas de jornalistas e procuradores.

Um dos casos recentes também é que Raquel Dodge já havia se posicionado contrária a soltura do empresário Jacob Barata, argumentando que ele descumpriu medidas cautelares impostas em outros casos. O empresário do Rio já foi solto três vezes por Mendes.

Decisões da Corte

O STF decidiu soltar, nesta segunda, quatro parlamentares acusados de Corrupção passiva. Edson Fachin foi vencido na votação, que teve a maioria com Gilmar Mendes [VIDEO] e Dias Toffoli.

Primeiro, Toffoli e Mendes não viram gravidade nas denúncias contra o senador Benedito Lira (PP-AL) e o filho dele, Arthur Lira (PP-AL). Segundo as denúncias, eles teria recebido mais de R$ 1,5 milhão por meio de doações eleitorais e pagamentos de despesas de campanha de empresas de fachada.

Para isso, bastava eles apoiarem o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto da Costa, no cargo.

Outro que teve a denúncia rejeitada por Mendes e Toffoli foi o deputado petista José Guimarães. Também se livrou da cadeia Dudu da Fonte (PP-PE).

Nesta segunda agitada, Mendes também livrou da prisão preventiva a mulher do ex-governador Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo.

Corrupção

As ações da Segunda Turma do STF causou uma grande revolta naqueles que valorizam os trabalhos da Lava Jato. Raquel Dodge pode não ter gostado disso, e a primeira atitude dela seria pressionar os executivos da JBS.

Apenas para ressaltar, uma reportagem da revista Veja mostrou que Gilmar Mendes tinha uma relação muito próxima com Joesley [VIDEO]. A amizade entre eles envolvia patrocínios e churrasco, ou seja, muito dinheiro.

Gilmar chegou a ser flagrado em um encontro com Joesley, que ocorreu em Brasília. Surgiu até a informação de que o empresário teria gravado as conversas com o ministro, na ocasião.

A procuradora-geral pode estar apertando o cerco para descobrir possíveis irregularidades de Mendes. Ela já afirmou que fará de tudo para combater a corrupção. Enquanto isso, Cármen Lúcia se mantém em silêncio.