Faltando pouco menos de um ano para as Eleições presidenciais de 2018, diversos nomes já estão aparecendo na mídia para possíveis candidaturas para o ano que entrará. Entre eles estão nomes já usuais nas disputas presidenciais como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), caso ele consiga se provar inocente no julgamento que ocorrerá em janeiro, a senadora Marina Silva (Rede Sustentável-AC) e o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Um novo nome na disputa pela presidência é o do conservador Jair bolsonaro, que de novo na política não tem nada, tendo 26 anos apenas como deputado na Câmara e vinte e oito no total na política.

Ele é deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro desde 1991, fez seu nome representando o conservadorismo brasileiro, defendendo a família tradicional e armamento da população, e ganhou espaço na mídia principalmente devido às polêmicas que envolvem seu nome, indo contra o politicamente correto, incomodando diversas vezes grupos auxiliares da esquerda, como LGBT, movimentos feministas e entre outros.

Outra forte característica do deputado é o militarismo, sendo um militar atualmente na reserva e sempre discursando a favor do poder militar brasileiro, Bolsonaro tem grande apoio desse grupo para as eleições de 2018.

Recentemente, o deputado federal fez uma declaração ao Jornal do Piauí, durante uma entrevista, afirmando que o polêmico General Mourão terá presença considerável em seu possível governo federal, caso ele obtenha vitória no ano que entrará. E ele ainda disse que ele não estará no governo como seu subordinado, mas sim ao seu lado para ajudá-lo a governar o Brasil.

Entenda a polêmica envolvendo o General Mourão com o Exército Brasileiro

Antonio Hamilton Martins Mourão é um general de exército brasileiro e durante uma reunião com um grupo que se autointitula ''Ternuma'' (Terrorismo Nunca Mais) e apoia a ditadura militar que ocorreu no Brasil entre os anos de 1964 e 1985.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro Eleições

O General Mourão fez duras críticas ao governo de Michel Temer (PMDB) e também aos governos petistas anteriores ao atual, de Lula e de Dilma Rousseff.

Membros do governo federal declaram que é ''inaceitável'' o general se pronunciar dessa forma em relação ao nosso chefe de Estado, e também trouxeram à tona a ocasião que Mourão criticou o STF (Supremo Tribunal Federal), dizendo que o Exército brasileiro deveria interferir caso o STF não desse uma punição aos políticos envolvidos com escândalos pela Operação Lava Jato.

Então, foi confirmado que o presidente Temer iria assinar o ato de exoneração do General Mourão.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo