Sim, é verdade que o deputado federal Jair Bolsonaro [VIDEO] empregou a sua atual esposa, Michelle, em seu gabinete na Câmara dos Deputados. Entretanto, na ocasião a prática de Nepotismo não era proibida. Assim que tal lei foi decretada, o deputado tirou a esposa do cargo. Entenda:

A contratação de sua esposa em seu gabinete ocorreu dia 18 de setembro de 2007, e após nove dias da oficialização de Michelle, eles assinaram um papel antenupcial no 1º Ofício de Notas de Brasília e dois meses depois eles oficializaram a relação no cartório, casando-se.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Jair Bolsonaro

A esposa de bolsonaro, sua atual até hoje, permaneceu empregada no seu gabinete durante um ano e dois meses, e recebeu uma promoção nesse período, a qual fez com que seu salário praticamente triplicasse.

Em 2008, o Supremo Tribunal Federal (STF) especificou que o nepotismo se enquadra na violação dos princípios da moralidade e impessoalidade expressos na Constituição de 1988, não havendo assim uma lei específica até hoje, porém, indiretamente, tal prática fere a Constituição, fazendo assim os infratores de tal normal responderem por ação de improbidade.

Deputado exonerou a esposa

Logo que o STF deixou claro tal especificação sobre o nepotismo, o deputado realizou a exoneração da esposa Michelle, em novembro de 2008, agindo de acordo com a lei.

Não é a primeira vez que o deputado realiza essa prática. Já havendo episódios de nepotismo anteriormente, inclusive com sua esposa anterior, do seu segundo casamento (Bolsonaro está em seu terceiro). Na época, nos anos 1990, o atual presidenciável [VIDEO]empregou familiares de Ana Cristina Vale, sua segunda esposa, que também trabalhou no gabinete do deputado.

Mas na época, quando questionado, o conservador respondeu se defendendo em cima de tecnicalidade, dizendo que ainda estava se divorciando de sua primeira esposa, Rogéria, falando que portanto, Ana Cristina não era sua mulher, mas apenas uma companheira, o que não faz dela membro de sua família.

Outro caso que ocorreu foi na contratação de seu próprio filho, que hoje em dia é deputado federal pelo estado de São Paulo, Eduardo Bolsonaro, do Partido Social Cristão (PSC). Na época, Bolsonaro fez um discurso falando que o filho era competente e que a mídia não queria saber disso, citando as qualificações do filho, falando que o filho estava concluindo a faculdade federal do Rio, fala inglês e segundo suas palavras "não era nenhum imbecil", assim como sua ex e atual esposa.