Em palestras, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO]tem criticado a Operação Lava Jato e ofendido o juiz federal Sérgio Moro. O petista chegou a dizer numa entrevista à Rádio Continental no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (06), que achava que Moro era surdo porque nunca responde as coisas que ele fala.

Nesta sexta (08), em um discurso na sede da Petrobras no Rio, o juiz acabou dando a resposta que Lula tanto queria ouvir. Bem declaradamente, Moro disse que não debate publicamente com pessoas condenadas por crime. De acordo com o juiz, o mal que fizeram à estatal petrolífera é muito grande. Roubaram os cofres públicos, desmoralizando a empresa.

Após sair do evento da Petrobras, o magistrado ainda falou sobre o foro privilegiado que tem sido um benefício injusto concedido a poderosos. O juiz ressaltou que todos devem ser iguais perante a Lei. Uma outra crítica feita pelo juiz é o desvio do poder que existe dentro das casas legislativas. Moro afirmou que esse tipo de proteção aos parlamentares só tende a alimentar a corrupção. É algo inaceitável caso todas as coisas sejam comprovadas e uma grande ameaça às investigações.

Eleições 2018

Um dos pontos importantes para tentar combater a corrupção é saber escolher o candidato das próximas eleições. Sérgio Moro disse durante um evento da revista IstoÉ, nesta terça-feira (05), que é fundamental as pessoas saberem em quem vão votar. A escolha tem que ser consciente. "Isso será um ponto decisivo na mudança do nosso país", disse o magistrado.

Segundo Moro, os condenados em segunda instância devem ser presos para já irem pagando os seus crimes. O Supremo tenta mudar o entendimento e fazer com que os suspeitos de corrupção só comecem a pagar por seus delitos após se esgotarem todos os recursos. A Justiça brasileira é lenta [VIDEO]e isso seria a mesma coisa de dizer que eles ficariam livres.

Apoio

Em seu discurso na premiação dos melhores brasileiros do ano de 2017, Moro agradeceu a todos que apoiam os trabalhos da Lava Jato. Em especial, fez um agradecimento à sua esposa, Rosangela Wolff Moro. Ele comentou que a advogada sempre esteve do lado dele e foi essencial para as suas decisões contra poderosos que nunca iam para a prisão.

Moro também ressaltou a importância do trabalho da Polícia Federal (PF) junto com órgãos competentes da Lava Jato.

O juiz comentou que graças a todas as investigações e responsabilidade de todos, a Justiça brasileira conseguiu levar para a cadeia políticos 'incondenáveis'.