Com as inúmeras denúncias e escândalos envolvendo Michel Temer e seu governo com o passar dos meses, o peemedebista precisava de alguém experiente e com bastante cara de pau em defender o indefensável. Foi por essa necessidade que o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) acabou logrando cada vez mais espaço no governo e ascendendo ao cargo de ministro da Secretaria de Governo [VIDEO]. Agora, oficialmente, Marun é o articulador do governo de Michel Temer [VIDEO].

O deputado peemedebista já vinha fazendo as vezes de defensor/articulador do governo há algum tempo.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Michel Temer

Mesmo existindo à época alguém no cargo, o deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA) ocupava essa pasta e tinha a função, Marun já era especulado como o futuro do governo Temer. Com a debandada tucana, e a consequente saída de Imbassahy, horas depois, o Planalto já tomou a frente e resolveu oficializar a entrada de Marun na Secretaria de Governo.

Nada mais seria do que dá-lo a nomenclatura de ministro, já que as funções ele exercia anteriormente.

No dia 9 de dezembro, último sábado, o Planalto assinou uma nota oficializando a entrada de Carlos Marun na pasta de articulação. Durante a semana, sua posse foi marcada para a sexta-feira (14). O evento teria a presença de Michel Temer, amigo pessoal do novo ministro, e de boa parte da base aliada, entre deputados do Centrão e do próprio PMDB. A saída de Imbassahy e entrada de Marun era uma reivindicação feita pelos aliados de Temer há algum tempo. Essa foi apenas mais uma sinalização do peemedebista para tentar agradar a base. Porém, como a saúde de Temer não ajudou, a posse do novo ministro não pôde ser realizada. O Planalto ainda não divulgou para quando será remarcada.

Espalhafatoso

O deputado tem um jeito digamos que expansivo demais.

Os melhores vídeos do dia

Ganhou manchetes e viralizou nas redes sociais quando, após a votação da segunda denúncia contra Michel Temer na Câmara dos Deputados e seu arquivamento, literalmente, dançou e cantou para comemorar a "vitória" dentro do plenário da Casa Legislativa.

A polêmica se instaurou quando Benito di Paula, autor da música que o deputado usou para "comemorar", desabafou e criticou a postura do parlamentar. Obviamente que o peemedebista não ficaria calado e respondeu ao artista.

Assista a "dancinha" de Marun, resposta de Benito e réplica do deputado

Tropa de choque de Eduardo Cunha

Carlos Marun está apenas em seu primeiro mandato como deputado federal, e ganhou destaque já em suas primeiras ações polêmicas. A principal delas foi ser um dos principais integrantes da tropa de choque de Eduardo Cunha.

O novo ministro de Michel Temer foi um dos 267 votos favoráveis a eleição de Cunha como presidente da Câmara dos Deputados. Teve papel importante no Conselho de Ética para tornar o processo de cassação do hoje presidiário como o mais longo da história.

Usou o microfone da Câmara para se dizer fiel a Cunha, mesmo nos momentos mais difíceis. Quando o caso já era irreversível, falou: "Não vou para onde o vento vira. Sou uma pessoa que tem coerência."

A lealdade é tamanha que em 30 de dezembro do ano passado foi fazer uma visita ao amigo no Complexo Médico-Penal em Pinhais, no Paraná, onde Cunha está preso desde 19 de outubro de 2016. Até ai, tudo bem, cada um escolhe os amigos que tem. O problema é que os gastos foram pagos com dinheiro público, R$ 1.242,62. Após a notícia ser divulgada e a polêmica que causou, o novo ministro resolveu devolver o dinheiro.

Já muito se especulava sobre a força de Eduardo Cunha nesse governo, mesmo preso. O que resta é esperar para ver se Marun está lá por conta própria ou faz parte da cota pessoal do ex-deputado presidiário.