O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi condenado pelo juiz Sérgio Moro, por meio da Operação Lava Jato, a 9 anos e meio de prisão em julho desse ano e desde então o petista recorre em liberdade. O seu julgamento foi marcado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), para o dia 24 de janeiro de 2018 [VIDEO].

Desde o início da Lava Jato, o ex-presidente incita o ódio à operação, afirmando perseguição contra ele e o seu partido, chegando até mesmo a sugerir uma parcela de culpa por parte da Lava Jato a respeito da morte de sua esposa, Marisa Letícia, em fevereiro desse ano.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

Tal acusação ocorreu em um discurso realizado por ele durante o funeral da ex-primeira-dama, onde falou que Marisa Letícia andava passando por muito estresse devido à suposta perseguição.

E desde a época em que assumiu a presidência do país, o petista conquistou diversos de apoiadores, que confiam em sua palavra e tomam para si suas lutas e ideais. E além dos apoiadores diretamente, existe também o grupo de não se declara como petista, mas acaba o apoiando por oposição a outro partido ou por ideais esquerdistas. Logo, seus discursos e de seus apoiadores tomam peso sobre a opinião de uma parcela da população.

E recentemente o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, ex-filiado ao Partido dos Trabalhadores, proferiu um discurso agressivo em relação ao julgamento do ex-presidente Lula. Dirceu se referiu ao dia 24 de janeiro de 2018 como o ''dia da revolta'', incitando os brasileiros petistas a transformarem suas energias ''em fúria, revolta, indignação e ódio'', palavras do próprio.

Ele se referiu ao julgamento de Lula como ''fraude jurídica''.

José Dirceu, assim como seu colega Lula, foi condenado pelo juiz Sérgio Moro por intermédio da Operação Lava Jato, tendo assim suas próprias razões para reter certo ódio pela Operação da Polícia Federal. O ex-ministro foi condenado por corrupção passiva, tráfico de influência, enriquecimento ilícito, entre outros crimes praticados por ele durante os governos petistas, Dilma e Lula. A condenação ocorreu em 2016 e então em setembro do mesmo ano, sua pena foi aumentada pelo TRF-4, em segunda instância, para 30 anos e nove meses de prisão. Mas Dirceu permanece solto até hoje.

Os sites e blogs da esquerda política já começaram a contribuir com o discurso de Dirceu sobre a revolta contra o julgamento do ex-presidente, insinuando que a condenação de Lula esteja sendo impulsionada pela direita brasileira e não pela Justiça.