A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, fez duras declarações nesta segunda-feira (4) na sede da Procuradoria-Geral durante a abertura de um evento promovido para celebrar o Dia Internacional de Combate à Corrupção.

Segundo a procuradora, o Ministério Público deve aumentar os esforços para acelerar o combate contra a corrupção, pois ao longo dos anos a Justiça tem feito um belo trabalho, mas existem quadrilhas muito influentes que são formadas por pessoas que fazem parte dos Poderes e que continuam desviando o dinheiro público e acobertando políticos corruptos. Dodge disse também que a corrupção é algo escandaloso e que deve ser enfrentada com toda intolerância possível.

Segundo a procuradora, muitas quadrilhas foram desarticuladas, mas ainda existem outras que estão agindo com desfaçatez a luz do dia. Agem juntas no intuito de tirar vantagens indevidas, abusando do poder que lhes foi confiado. Mas essas quadrilhas não consegue se desviar de "câmeras" espalhas por todos os cantos e acabam sendo entregues por colaboradores da Justiça.

Outras quadrilhas estão escondendo grandes quantias de dinheiro público fruto da corrupção, e isso eles fazem de maneira tão petulante que dão a entender que não temem a punição por parte da Justiça.

Dodge prestou um dos discursos mais contundente que já fez desde de que assumiu a Procuradoria-Geral. Ela disse que infelizmente o combate à corrupção só está começando e que todos os funcionários que trabalham na área judiciária estão se esforçando incansavelmente, destemidos e determinados a dar continuidade ao processo.

Raquel Dodge fala sobre as denúncias que foram rejeitadas pelos deputados

A procuradora também falou sobre as duas denúncias barradas pela Câmara dos Deputados contra o presidente Michel Temer. Dodge ressaltou que a denúncia rejeitada pela Câmara dos Deputados, apresentadas pelo ex-procurador-Geral, Rodrigo Janot, contra Temer se tratava de acusações como organização criminosa, corrupção e obstrução a Justiça. Seguiu falando sobre o dinheiro encontrado no apartamento usado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima, ex-auxiliar do presidente Temer.

Dodge elogiou as Operação Lava Jato [VIDEO] e o Mensalão, que segundo ela fizeram e tem feito um belíssimo trabalho, mas acredita que para combater a corrupção é necessário que exista mais rigidez por parte da Justiça.

O problema da corrupção no Brasil já está em estado de emergência, por isso o evento foi promovido, no intuito de reunir todos que estão lutando contra a corrupção para falar de maneira eloquente e se discutir o assunto.