Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato à Presidência da República em 2018, muda a estratégia eleitoral e, ao contrário de 2002 [VIDEO], quando seu principal alvo era o mercado financeiro em crise, se desdobra agora sobre uma nova versão da Carta ao Povo Brasileiro, onde prioriza a responsabilidade fiscal, na tentativa de fugir da alcunha de populista e atingir a classe média que sempre teve os governos do PT como o vilão da crise econômica.

Em 2002, durante a sua campanha eleitoral, da qual saiu vitorioso, o ex-presidente se comprometeu a fortalecer os fundamentos da estabilidade da economia do país, depois de muitos anos de confronto com o grande capital, e o alicerce da sua campanha era o mercado financeiro, ao lançar a Carta ao Povo Brasileiro.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

Atualmente, em diálogo com seus colaboradores, Lula reforça a ideia de que essa nova carta seja dirigida ao povo brasileiro, mas “ao povo brasileiro mesmo”. Nesta sexta,1, durante encontro com o PT de São Paulo, disse que seus adversários políticos criaram uma guerra de classes, e que está sendo vítima de terrorismo de mercado.

Meta: Persuadir a classe média

A nova carta, que pretende abordar a economia e a política por um anglo diferente de 2002, reafirma o compromisso pessoal a responsabilidade com a condução da economia. Essa ideia é ainda um projeto, e não tem data para ser divulgada.

O PT acredita [VIDEO] que manter esse diálogo irá sensibilizar a classe média e, com a frase: “O mercado não vota’, frisou que o alvo principal tem que ser o próprio eleitorado, minimizando o poder da banca. A XP investimentos divulgou na semana passada que a bolsa de valores, com uma eventual vitória de Lula, apresentaria queda representativa e que a alta do dólar seria inevitável. Para rebater a fala da XP, a equipe do PT irá divulgar a trajetória onde, segundo ele, apresenta queda da dívida pública, sequências de superávit fiscal além da meta, investimento crescente, reserva cambial galopante, e a bolsa de valores em crescente alta.

Os melhores vídeos do dia

A equipe que irá redigir a nova carta ainda não foi definida, mas, entre outros, os nomes envolvidos são os de Rui Falcão (ex-presidente do PT); Nelson Barbosa (ex-ministro da Fazenda), e Fernando Haddad (ex-prefeito de São Paulo).

Dúvidas do partido

Lula enfrenta a ameaça de não poder concorrer às eleições de 2018, caso a justiça de Porto Alegue (TRF-4), confirme a sentença imposta pelo juiz Sérgio Moro da primeira instância, de 9 anos e meio de prisão, apesar de aparecer na liderança das diversas pesquisas de intenção de voto.

O cientista político Hilton Cesario Fernandes avalia que a principal causa a da saída de Dilma Rousseff do governo foi a insatisfação da classe média, que se distanciou e formou uma barreira junto à população, e que, mesmo o governo Lula, já não tinha mais a mesma avaliação após sua primeira vitória, devido a diversas mudanças na base eleitoral. Hilton Cesario Fernandes é professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, e cientista político.

Via de regra, nova “Carta aos Brasileiros” tenta imitar os passos da primeira, levando o PT novamente ao poder. Resta aguardar se a legenda irá apresentar novas alternativas eleitorais ou se irá continuar com o quadro já tão conhecido por quase a totalidade da população brasileira.