Quem acha que os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) são 'inimigos' em virtude das disputas presidenciais e por comporem partidos diferentes, está enganado. Apesar de, no passado, eles terem sido oposição um ao outro e se atacado em seus discursos, hoje em dia os dois políticos mantém uma relação de cumplicidade, onde Fernando Henrique já saiu em defesa do petista Lula diversas vezes.

E a última manifestação de Fernando Henrique Cardoso em favor de Lula ocorreu nesse último final de semana, quando o ex-presidente tucano disse que ele prefere vencer o petista nas urnas a vê-lo na cadeia.

Mas, o que exatamente Fernando Henrique quis dizer com esse pronunciamento? O ex-presidente Lula ser eleito pelo povo não anula de forma alguma seus crimes cometidos. Mostra apenas a passividade da população brasileira quanto a um político quase condenado.

O comediante, e apresentador pelo SBT, Danilo Gentili, conhecido por seu engajamento político e sua posição de direita, não deixou o pronunciamento de Fernando Henrique Cardoso passar batido, dando uma alfinetada em forma de piada como de costume no seu Twitter.

O humorista fez a seguinte postagem na rede social: ''Não sei vocês. Eu já sei o que falar no tribunal caso um dia eu cometa um crime e seja pego: Meritíssimo, por favor, eu gostaria de pagar pelo meu crime nas urnas, não na cadeia''. Danilo se envolve em polêmicas e recebe processos de políticos constantemente, justamente por não hesitar na hora de fazer críticas a seja quem for.

Outras ocasiões em que Fernando Henrique Cardoso saiu em defesa de Lula

Entre diversos exemplos de parceria, um deles ocorreu na ocasião em que Lula estava enfrentando um processo sobre o Instituto Lula, pela Operação Lava-Jato (uma das diversas vezes em que o nome do ex-presidente apareceu na Operação).

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Lula

Fernando Henrique foi testemunha em favor de Lula em depoimento no início do ano, mais precisamente em fevereiro, logo após a morte da esposa de Lula, Marisa Letícia.

Na verdade, o processo não era em nome de Lula, mas sim do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto. Lula, porém, também estava envolvido, já que ele é o presidente de honra da organização que leva seu nome, em sua homenagem. A Instituição foi fundada no ano de 2011 e é voltada para estudos políticos e é uma fundação suprapartidária e sem fins lucrativos, dedicada à cooperação internacional entre o Brasil, a África e os demais países da América Latina.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo