O juiz Marcelo Bretas, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato na 7° Vara Criminal do Rio de Janeiro, está sendo muito ameaçado ultimamente. Durante um depoimento que ocorreu este ano com o ex-governador do Rio, [VIDEO] Sérgio Cabral, Bretas teria se sentindo ameaçado após Cabral falar a respeito de sua vida pessoal, envolvendo sua família. O caso ganhou grande repercussão. Neste ano, no mês de abril, cerca de três ameaças contra Bretas foram denunciadas, todas em apenas uma semana.

Marcelo Bretas toma decisões consideradas ''severas'' e já colocou na cadeia grandes nomes, envolvendo empresários e políticos brasileiros, como Sergio Cabral, Eike Batista e Fernando Cavendish.

Nesta última sexta-feira, 1° de dezembro, o juiz postou uma foto ousada ao lado de policiais civis. Bretas compareceu em um treinamento e postou a foto em sua rede social do ''Twitter'', segurando um forte armamento.

Na legenda da foto, o juiz explica que participou de um treinamento da corporação e que só tem a agradecer toda a Polícia Civil do Rio de Janeiro pelo treinamento e também a Polícia Militar do Rio de Janeiro, responsável por fazer sua escolta pessoal, prevenindo o juiz de cair nas mãos de bandidos e assassinos, já que seu histórico contra a corrupção é forte e suas sentenças são consideradas ''longas''. Além da polícia, Bretas agradeceu o seu amigo desembargador Paulo Rangel, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

A Polícia Federal é responsável por investigar as séries de ameaças de morte contra o juiz federal.

A Lava Jato do Rio de Janeiro está nas mãos de Bretas, que chegou a ''afundar'' esquemas corruptos de Sergio Cabral envolvendo organizações criminosas.

Veja a seguir a foto do juiz com a equipe da Polícia Civil em dia de treinamento da corporação.

Petista ficou 'zangado'

O deputado federal do Partido dos Trabalhadores (PT), Wadih Damous, fez uma dura crítica a foto de Bretas. O petista disse: "Juiz que posa armado, para mim, não é juiz, é justiceiro''. Segundo informações do portal ''Uol'', o deputado avaliou que o ato seria algo ''absurdo' e ''lamentável''. Damous é conhecido por fazer críticas referentes as investigações da Operação Lava Jato, caracterizando a linha de investigação como ''abusiva''.

A Lava Jato prejudicou grandes nomes do PT, como o ex-presidente Lula [VIDEO] que é réu em vários processos e militantes que chegaram a ser presos, como José Dirceu e Antonio Palocci.