Nessa quarta-feira (12), foi marcado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a data é 24 de janeiro de 2018 e será realizado em segunda instância. O resultado do julgamento irá ser decisivo para as Eleições 2018, já que Lula é um dos principais pré-candidatos que está aparecendo na liderança da maioria das pesquisas de intenção de votos, tendo como seu maior adversário o deputado federal Jair Bolsonaro (Patriotas-RJ).

Mas não é apenas no cenário político que a sentença de Lula irá influenciar, mas também na área da economia.

Pois apenas com a notícia de que o julgamento teve uma data marcada, o mercado financeiro teve uma melhora considerável.

O bechmark da bolsa brasileira fechou com alta de 1,39%, aos 7.986 pontos. O volume financeiro ficou em R$7,986 bilhões. E além disso, o dólar comercial subiu 0,93%, concluindo o dia com a cotação de R$3,3281 na venda, sendo esse o maior valor desde o dia 23 de junho.

Situação de Lula na Justiça

O ex-presidente Lula foi condenado pelo juiz federal Sergio Moro a 9 anos e meio de prisão em julho desse ano de 2017, e os crimes que o petista está sendo responsabilizado são que aparecem normalmente envolvendo políticos, que são corrupção passiva e lavagem de dinheiro, devido o recebimento de R$ 3,7 milhões da empreiteira OAS, por meio de contratos da empresa com a Petrobras.

E esse dinheiro foi repassado para o ex-presidente por meio da compra e reforma do triplex de Guarujá

Foi concedido ao ex-presidente o direito de defesa em liberdade, o qual já foi recorrido duas vezes pela defensoria do petista desde que sua sentença foi dada a quase 6 meses atrás. Foram bloqueados no total 16 milhões de reais de Lula, incluindo valores e também seus bens, já tendo sido solicitado o desbloqueio pelos seus advogados duas vezes e todas elas negadas pela Oitava Turma do Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF4), que é o departamento que está analisando o caso de Lula e que marcou seu julgamento.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Lava Jato Lula

A Oitava Turma do Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF4) é formada por três desembargadores: João Pedro Gebran Neto como relator, Leandro Paulsen como revisor e Victor Laus, decano da Corte.

Lula e a Operação Lava Jato

O ex-presidente não possui um histórico muito bom com a operação da Polícia Federal e não é apenas devido aos processos que enfrenta, mas sim pela insistência do petista em negar seus crimes e afirmar que a Polícia Federal está o perseguindo injustamente.

Lula já fez inúmeros discursos criticando a operação, tendo inclusive feito um no velório de sua esposa, Marisa Letícia, no qual insinuou que sua morte foi acarretada pelo estresse causado pela operação na vida dos dois.

O presidente também já afirmou que a Lava Jato está desmoralizando o estado do Rio de Janeiro e a empresa estatal Petrobras e quando o juiz Sérgio Moro foi questionado sobre tal afirmação de Lula, ele apenas disse que não iria falar em público com um condenado pela Justiça.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo