Nessa terça-feira, 5 de dezembro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) passou por um grande vexame em sua caravana pelos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro. A situação desagradável para o ex-presidente [VIDEO] ocorreu quando deu de cara com eleitores do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), futuro candidato à Presidência do Brasil para 2018.

Desde o início de agosto, em que Lula começou a fazer viagens com a caravana, mas esta, com certeza, foi a sua pior recepção. O ex-presidente é réu em vários processos através das investigações da Operação Lava Jato e bateu de frente com eleitores de Bolsonaro, que utilizaram cartazes com a frase: ''Lula ladrão, seu lugar é na prisão!"

No Rio de Janeiro, uma manifestação foi feita na Câmara de Vereadores de Campos.

O ato aconteceu em uma das escadarias e contou com a presença de vários seguidores de Bolsonaro, que torcem pela vitória do deputado. Para manifestar a indignação contra Lula, que é acusado de diversos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, os eleitores de Bolsonaro queimaram bandeiras e gritaram palavras de ordem, um dos nomes citados foi de Brilhante Ustra.

O protesto teve dois idealizadores, ambos de 29 anos, Vander Paulo Silveira e Carlos Víctor Carvalho. O objetivo dos jovens é levar Bolsonaro até Campos. Eles garantem que o deputado tem cerca de 7 mil adeptos através de seguidores em páginas de redes sociais. Vander tem o objetivo de ingressar no Partido Militar e não tem filiação partidária.

Lula discursou por menos de uma hora e ainda fez referências sobre o deputado, dizendo que ''não iria dar fuzil para fazendeiros''.

No final, apoiadores de Lula e Bolsonaro acabaram se confrontando, mas a Polícia Militar interveio.

Um outro incidente humilhante para Lula foi em sua chegada ao hotel de Campos. Um hóspede encontrou Lula no hall e não conteve a emoção, dizendo, aos gritos: ''ladrão''. Ao que tudo indica, a palavra ''ladrão'' é a que mais o ex-presidente escuta de seus opositores.

Lula também evitou contato próximo com seus simpatizantes, proibindo fotos e selfies. Mesmo passando por grande vexame, o petista não se conteve e disse que irá até a ‘’República de Curitiba’’, onde ele está sendo investigado sobre vários crimes em ações que estão nas mãos do juiz federal Sérgio Moro, responsável pela julgamento dos processos da Operação Lava Jato em primeira instância no Paraná.

Lula já foi condenado por nove anos e seis meses de cadeia. No entanto, seu processo será analisado em segunda instância [VIDEO]. O relator do caso já teria definido o voto a respeito do futuro de Lula e o resultado poderá sair no primeiro semestre do próximo ano.