Nesta sexta-feira (15), em depoimento ao juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, o dono da cobertura ao lado de onde o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva mora, Glaucos da Costamarques, disse não ter recebido nenhum aluguel entre 2011 a 2015. Glaucos disse que o contrato estava firmado entre fevereiro de 2011 até novembro de 2015, e foi ouvido, graças a um incidente envolvendo falsidade que foi aberto pelo Ministério Público Federal. Esse processo da investigação foi aberto para descobrir se os recibos dos aluguéis pagos, eram mesmo verdadeiros.

Segundo o inquérito movido contra o ex-presidente [VIDEO] Lula, ele é réu por crimes de corrupção passiva e de lavar dinheiro por um suposto recebimento de uma propina de R$ 12, 9 milhões de reais, da empreiteira Odebrecht.

Essa propina era dividida em aluguéis do apartamento no ABC e de um imóvel que servia como a sede do seu instituto, que fica em São Paulo. O MPF [VIDEO] diz que o dono, Glaucos da Costamarques, foi usado como um dos “laranjas” da empreiteira para a compra do imóvel, que custou, R$ 504 mil reais.

Segundo afirma Glaucos ao juiz Moro, a compra do imóvel teria como finalidade como se fosse um empréstimo ao seu primo, que é o pecuarista José Carlos Bunlal, [VIDEO] também amigo pessoal de Lula. Conforme Glaucos, seu primo Bumlai, ficou devendo para ele um bom dinheiro investido na cobertura e que os pagamentos desse aluguel, estavam funcionando como uma espécie de correção desse valor. Ainda, teria afirmado, que Lula e sua esposa, Maria Leticia, só pagaram o aluguel em dezembro de 2015.

Afirmou ainda o empresário, que também voltou a dizer que soube através de informações do Roberto Teixeira, que teria acontecido em novembro de 2015, que esses mesmos aluguéis passariam a ser pagos com regularidade.

Os melhores vídeos do dia

Esse recado foi passado a Glaucos, enquanto estava internado no hospital Sírio-Libanês, para uma operação cardíaca.

Quando o juiz Sérgio Moro citou que não havia nenhum registro de visitantes no hospital apontando o nome de Roberto Teixeira, nesse mesmo período, o empresário disse que um advogado foi ao quarto onde ele se encontrava. Segundo Glauco, o departamento que fornece o crachá é falho, e foi por ali que o advogado entrou.

Por meio de uma nota, a defesa de Lula afirmou que o empresário Glaucos da Costamarques, atesta que assinou esses recibos de aluguel que foram emitidos no nome da ex-primeira dama Marisa Leticia e que não foram feitos todos de uma só vez.