Como já era esperado, a ex-senadora Marina Silva anunciou sua pré-candidatura à Presidência da República pela Rede (partido Rede Sustentabilidade).

A confirmação de sua candidatura depende da aprovação no congresso nacional da legenda, previsto para o mês de abril de 2018. A convenção partidária irá definir as coligações e chapas no mês de agosto do próximo ano.

Segundo o porta-voz do partido Rede Sustentabilidade, Marina confirmou de uma forma oficial sua disposição para disputar a corrida presidencial durante o encontro nacional do partido, evento realizado neste sábado em Brasília.

No evento, leram a mensagem do Elo Nacional, pedindo a Marina Silva para que se apresentasse como pré-candidata à Presidência.

As 23 convenções dos estados do Partido Rede foram unânimes na aprovação das moções que pediam a candidatura de Marina.

A ex-senadora disse que "não estava ali para dizer não". Disse que continuaria mantendo o diálogo com outros partidos, e com outros setores da sociedade.

Em texto lido no encontro deram destaque a um "projeto de país", que visa recuperar e potencializar a força da juventude e de todos os brasileiros. Declararam que almejam justiça, participação da sociedade e a solidariedade, preservando e usando os recursos naturais.

Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima é do estado do Acre e nasceu em 8 de fevereiro de 1958. É Historiadora, sendo uma das fundadora da Central Única dos Trabalhadores (CUT) ao lado do seringueiro Chico Mendes no estado do Acre.

Em sua carreira política foi vereadora na cidade do Rio Branco, exerceu também o mandato de deputada estadual, foi senadora por dois mandatos e no governo Lula exerceu a função de ministra do Meio Ambiente.

Os melhores vídeos do dia

Seu início político foi no partido dos Trabalhadores (PT), posteriormente participou do PV e PSB e por último passou a integrar a Rede Sustentabilidade.

Esta é a terceira vez que Marina Silva concorrerá a disputa pela presidência da República, a primeira vez foi em 2010 pelo PV, quando recebeu os surpreendentes 19,6 milhões de votos ficando em terceiro lugar. A segunda vez foi em 2014, pelo PDSB, conseguiu novamente ficar em terceiro lugar, ampliando seu número de eleitores totalizando 22,1 milhões de votos.

A disputa eleitoral de 2018 se aproxima com vários pré-candidatos, conforme a última pesquisa do IBOPE Lula e Bolsonaro seguem à frente nas intenções de votos dos eleitores brasileiros. [VIDEO]