A atual conjuntura, dado o cenário de crise e desrespeito às instituições brasileiras, proporcionou a manifestação de representantes das Forças Armadas do Brasil, segundo o que conta em um vídeo produzido pelo jornalista Leudo Costa. Ainda segundo o vídeo postado pelo jornalista nas redes sociais, o Exército brasileiro, por meio de seus representantes, principalmente, em se tratando da alta cúpula de generais, teria enviado um verdadeiro "ultimato" ao ministro Gilmar Mendes, um dos mais polêmicos integrantes que compõem o Supremo Tribunal Federal (STF).

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

O recado teria sido transmitido, com o propósito de que tanto Gilmar Mendes, quanto outros ministros da mais alta corte do país e até mesmo a classe política, principalmente, deputados federais e senadores que fazem parte de siglas partidárias esquerdistas, como o PT (Partido dos Trabalhadores).

Leudo Costa afirma que o recado dos militares também alcança setores da esquerda brasileiro, advertindo-os para que não atuem, de modo que tentem pressionar para que o ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva, seja beneficiado por algum tipo de alteração da lei vigente no Brasil, com o objetivo de que possa se concorrer ao cargo de presidente do país. Entretanto, desde que o ex-mandatário tenha confirmada sua condenação no Tribunal de segunda instância ou conforme também é denominada, a "Corte de Apelação".

Militares acompanham cenário do país com atenção

Alguns setores da imprensa, como por exemplo, o site "O Antagonista", revelou que os militares, principalmente, generais do Exército afirmaram que caso o ex-presidente Lula venha a ter confirmada sua condenação e segunda instância, a lei deverá ser respeitada, conforme o que vigora atualmente, sem que haja qualquer tipo de implementação de alguma "nova lei".

Os militares preparam-se para rugir de novo e estariam atentos para que não sejam feitas alterações na legislação, que visem beneficiar alguém que venha a ser supostamente condenado perante a Justiça, como no caso do ex-presidente da República. Vale recordar que recentemente, durante participação em um programa de entrevistas na televisão, o comandante máximo do Exército, general Eduardo Villas Bôas disse que prima pela estabilidade no país.

Vale ressaltar que Lula foi condenado a mais de nove anos e seis meses de prisão, por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, cuja sentença foi proferida pelo juiz Sérgio Moro, titular em primeira instância, da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná. Moro é o responsável pela condução dos trabalhos da Operação Lava Jato, considerada a maior operação de combate à corrupção na história contemporânea do país e uma das maiores em todo o mundo.

Atualmente, o processo de condenação de Lula tramita em segunda instância, referente à propriedade do apartamento tríplex, localizado na cidade de Guarujá, litoral de São Paulo, cujos recursos teriam sido angariados através de propinas oriundas de empreiteiras envolvidas no escândalo de corrupção da Petrobras.

O relator do caso na Corte, João Pedro Gebran Neto já teria concluído o seu voto, porém, sem ter ainda sido revelado.

Veja o vídeo do jornalista que revela a pressão dos militares para que seja respeitada a lei vigente no país: