Roberval Uzêda, pai de santo do Rio de Janeiro, que é mais conhecido como “Pai Uzêda”, foi convidado pelo Palácio do Planalto para participar na manhã dessa última terça-feira (19) da convenção do PMDB – que mudou a sigla para MDB, para ‘tirar um peso do partido’. O pai de santo caminhou nos corredores do recinto, em Brasília, com o objetivo de “tirar os trabalhos de macumba” existentes no Planalto. No momento que Michel Temer (PMDB) estava discursando, Roberval subiu no palco, o interrompeu e, com um ramo de matos na mão, benzeu o presidente com suas rezas potentes – que já foram desprezadas por Dilma Rousseff, segundo ele. [VIDEO]

Pai Uzêda não é bem visto por boa parte da camaradagem política de Brasília.

Muitos deputados e senadores ignoram o religioso. No entanto, Roberval caminhou pelo Planalto e disse que encontrou vários ‘trabalhos’ [VIDEO] que foram feitos contra o presidente e a sua mulher, a primeira dama Marcela Temer, que, inclusive, foi quem o convidou.

Pai Uzêda foi procurado para falar sobre o que achou no Palácio do Planalto. O babalorixá estava no Hotel San Marco, localizado no centro de Brasília. Segundo ele, os custos da sua ida até a convenção foram todos pagos pelo PMDB. Roberval disse que, no final de suas andanças pelo Planalto, contabilizou um saldo de três cabelas de burro no jardim do Palácio e ‘vários trabalhos’ de vodus feitos com a intenção de derrubar o atual presidente, entre eles, de acordo com o babalorixá, destacam-se oito bonecos vodus, que estavam escondidos na área de segurança do local. [VIDEO]

Temer, Marcela, Jucá e Moreira Franco são vítimas de vudo, diz Roberval

Pai Uzêda disse que muitos dos trabalhos que ele encontrou foram feitos não somente contra Michel Temer, mas, também, contra o senador Romero Jucá e o ministro Moreira Franco.

Roberval disse que queimou todos os trabalhos que encontrou com sal grosso, com isso, segundo o religioso, conseguiu ‘espantar os maus espíritos’.

Pai Uzêda disse que os responsáveis pelas macumbas foram pessoas que são muito próximas da ex-presidente Dilma Rousseff. Ele, inclusive, disse que já ofereceu os seus serviços para a petista, quando ela estava com o poder nas mãos, no entanto, foi ignorado. O religioso explica que quando Dilma acabou saindo do cargo de presidente, ele foi procurado pela assessoria de comunicação da petista, mas Roberval não atendeu.

Perguntado se ele foi para a convenção do PMDB de graça, o religioso disse que nem pastores e padres trabalham de graça. O portal “Metrópoles” buscou informação de quanto o religioso recebeu para fazer os trabalhos para Temer. A informação é que ele deve ter ganho 5 mil reais.