Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes [VIDEO], ordenou mais uma vez a soltura do empresário Jacob Barata Filho. A equipe de advogados de Barata entrou com um pedido de Habeas Corpus no STF.

O magistrado, que também é padrinho de casamento da filha de Jacob já havia ordenado a soltura do empresário outras duas vezes.

Esta é a terceira vez que gilmar mendes acata o pedido da defesa do conhecido como “Rei do ônibus”. Junto com a decisão de soltar Jacob, também foi concedido Habeas Corpus ao presidente da Federação das Empresas de Transporte do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), Lelis Marcos Teixeira.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

No mês passado já haviam dois novos decretos de prisão contra Barata. A polícia afirma que o empresário continuava atuando nas empresas as quais administrava.

Jacob foi preso em julho deste ano durante a operação Ponto Final, que se tornou um braço da operação Lava Jato, coordenada pelo Juiz Sérgio Moro.

A investigação chegou a conclusão pagamento de propinas e fraudes em contratos do Governo carioca.

Em agosto deste ano, o empresário também teve sua prisão revogada pelo Ministro, vindo a ser preso novamente em novembro. Gilmar afirma que os últimos decretos de prisão não seriam válidos, tendo em vista que a Turma do STF já havia determinado medidas cautelares alternativas como prisão domiciliar, afirmando que estes novos decretos de prisão seriam uma manobra para escapar da decisão do STF, afinal, o empresário não havia descumprido as medidas enquanto estava a elas submetido.

Investigação estaria chegando também a Gilmar Mendes

Neste sexta-feira (1) procuradores da Operação Lava Jato entraram com um pedido para impedir Gilmar Mendes de atuar no caso do empresário por ele ser, além de padrinho de casamento da filha do réu, ter sua esposa trabalha no mesmo escritório de advocacia que defende Jacob e a possibilidade de haver grande suspeição de relações próximas com o empresário.

Os procuradores usaram como principal argumento flores que Jacob teria enviado recentemente ao Ministro e sua esposa.

Gilmar Mendes já se posicionou em relação ao pedido de impedimento e descartou qualquer possibilidade de se afastar do caso.

Jacob é acusado além de esquema fraudulento que envolve empresas de ônibus do Estado do Rio de Janeiro [VIDEO], também está sendo investigado por um esquema que teria pago em torno de R$ 500 milhões em propinas, envolvendo inclusive o ex-governado Sérgio Cabral.

O empresário Jacob Barata Filho [VIDEO] seguirá em prisão domiciliar, não podendo sair de sua residência no período noturno e finais de semana.