O Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF-4) deu uma acelerada no julgamento de recursos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pedem o cancelamento da sentença proferida pelo juiz federal Sérgio Moro [VIDEO]. Isso tem causado apreensão em todos os sentidos.

O desembargador João Pedro Gebran Neto já se decidiu sobre o seu voto, mas o resultado ainda é mantido em sigilo. O que tem surpreendido é que as decisões do tribunal sempre são demoradas, mas dessa vez tudo caminha rapidamente.

Da forma como as coisas vão indo, em breve sai a decisão final do processo de Lula. O petista foi condenado a nove anos e seis meses de prisão.

Em sentença proferida, o Sérgio Moro disse que o ex-presidente recebeu propina da OAS para aquisição de um triplex no Guarujá. Em troca desse dinheiro irregular, o petista teria proporcionado às empreiteiras contratos fraudulentos com a Petrobras.

A esperança do petista é o Supremo Tribunal Federal (STF). Diante disso, uma fala de Gilmar Mendes não caiu bem e já surgiram rumores que os Militares estão se preparando para agir. Mendes disse que a condenação em segunda instância não obriga a prisão. Dessa forma, mesmo condenado, Lula poderia ficar solto e isso causar uma grande desordem no País.

Militares

Se Lula for condenado e não for para a cadeia, o Brasil entrará em um momento de grande tensão. O Poder Judiciário demonstrará que não foi capaz de cumprir as regras.

Para que as pessoas possam entender, os militares possuem informações privilegiadas e sabem de tudo o que acontece no País.

Eles têm os dados que precisam para intervir no momento certo. Conforme noticiou o site "O Antagonista", os militares irão de qualquer jeito fazer valer a Constituição.

Vale ressaltar que muitas pessoas pedem intervenção militar e acham que é simples colocar isso em prática. De acordo com o general da brigada, Paulo Chagas, tudo tem o seu momento certo, e eles sabem a hora de tomar uma ação. Se a estabilidade do País for perdida, é muito fácil que a intervenção aconteça.

Eleições

Os petistas querem que Lula dispute as Eleições e estão pressionando de todos os lados, mas a Justiça deve estar acima disso.

Conforme declarou o general Hamilton Mourão [VIDEO], se o Poder Judiciário não cumprir o seu papel, o Exército agirá e retirará do poder aqueles políticos que só pensam em seus interesses.

O general Villas Bôas também declarou que as Forças Armadas defenderão a Constituição e nada pode ser alterado. Caso contrário, os militares tomarão o poder em prol da estabilidade no País.