Segunda Sem Carne. Essa é a proposta do deputado estadual Feliciano Filho, do PSC (SP), na prerrogativa de que o consumo de carne é prejudicial não apenas ao meio ambiente, como também para a biodiversidade e a saúde do ser humano. Relatando até mesmo, doenças provenientes da carne. A seguir, a fala do Deputado, acerca do referido tema.

“O reino vegetal é plenamente capaz de suprir as necessidades de uma população. Isso porque uma alimentação sem ingredientes de origem animal é ética, saudável e sustentável.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

Não se pode esquecer que, assim como nós, os demais animais querem ser livres e ter uma vida normal junto a membros da sua espécie”, posicionou-se firmemente. Mostrando a todos, a ideologia que segue.

Conheça o projeto - Segunda Sem Carne

A proposta já foi discutida e até mesmo, aprovada, em sessão extraordinária, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Ficando, agora, nas mãos do governador Geraldo Alckmin sancionar ou não. Caso sancionada, fica proibido o fornecimento do produto em restaurantes, bares, refeitórios públicos, e até mesmo, em escolas. Esses estabelecimentos são obrigados a expor - no dia de segunda - a seus clientes, um cardápio alternativo. Caso haja descumprimento da regra, os mesmos, estarão sujeitos a multa, que pode dobrar, caso o delito se repita. A lei abre certas exceções como, hospitais públicos e unidades de saúde pública [VIDEO].

Manifestações contra do projeto.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) repudia completamente o projeto de lei apresentado pelo deputado Feliciano Filho, afirmando que estão tomando partido de um grupo específico, e tentando, com isso, sobrepor a sua ideologia, a grande maioria.

Dizendo ainda que o projeto fere a Constituição, e não apenas a ela, mas também, os direitos de mais de 40 milhões de cidadãos paulistas.

Acerca da cadeia produtiva de proteína animal, além de gerar 4,1 milhões de empregos, também é responsável pela segurança alimentar da população, pois oferece alimentos de alta qualidade, a baixo custo. Fazendo com que os alimentos tornem-se acessíveis a praticamente todas as classes sociais.

Fora esta dura crítica ao projeto do deputado, a Assembleia Brasileira de Proteína Animal, pronunciou-se, afirmando que confia no correto entendimento do governador Geraldo Alckmin, além de dizer que, o arquivamento do projeto é, também, defender a liberdade de escolha do cidadão.