O ex-ministro do Partido dos Trabalhadores (PT), Antonio Palocci, está trazendo grande dor de cabeça para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de diversos crimes de corrupção e réu em várias ações penais no âmbito de investigações da Operação Lava Jato. Recentemente, uma ''bomba'' veio à tona ao partido a respeito de uma revelação de Palocci que foi entregue para o Ministério Público Federal (MPF).

Publicidade
Publicidade

As acusações tratam de um financiamento para a campanha eleitoral do PT feito por Kadafi, ditador que comandou a Líbia. Os valores entregues chegariam a US$ 1 milhão.

Antonio Palocci atuou no governo de Lula como ministro da Fazenda e ex-chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, sua história com o PT é longa, mas ele acabou sendo preso por doze anos, acusado de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Publicidade

Há cerca de 7 meses, o ex-ministro tenta um acordo de delação premiada para aliviar sua pena. Até agora, o acordo com o MPF não se concretizou.

Dentre todas as revelações do ministro, há algo que significa o seu ''maio pavor''. Além de ter ''medo'' de não conseguir um acordo com a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, inviabilizando-o de fazer a delação, Palocci está com outro grave problema.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula PT

Pai de Carolina Silva Palocci e Marina Watanabe, o ex-ministro está desesperado pelo fato da Justiça tentar bloquear os bens de suas filhas.

A Força-Tarefa de investigações da Operação Lava Jato fez um pedido para o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato em Curitiba, Paraná. O pedido chegou a ser assinado pelo procurador Januário Paludo, afirmando que há possíveis indícios de crimes de lavagem de dinheiro em imóveis adquiridos por suas filhas.

Entre 2014 e 2015, as mulheres compraram imóveis em uma localização privilegiada de São Paulo, os recursos utilizados foram doados por Antonio Palocci. Os valores são surpreendentes, para Carolina foi enviado cerca de R$ 2,8 milhões e para Marina cerca de R$ 1,5 milhão. A Lava Jato indica que este dinheiro veio de propinas entregues para Palocci entre os anos de 2010 e 2011. As propinas chegariam a valores exorbitantes de R$ 32 milhões.

Publicidade

Os valores doados foram declarados na Receita Federal e feitos através de transferências bancárias. Os investigadores da Lava Jato apontam os crimes e querer barrar os imóveis adquiridos para as meninas. Carolina é filha legítima de Palocci, Marina é filha de sua esposa, Margareth Rose Silva Palocci.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo