O deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP), mais conhecido como Tiririca, concedeu uma entrevista exclusiva ao jornalista Roberto Cabrini, do “Conexão Repórter”, que vai ao ar no próximo domingo (3) [VIDEO], logo depois do “Programa Silvio Santos”, no SBT. Detalhes da entrevista foram divulgados por Flávio Ricco, colunista do portal de notícias UOL.

Entre as polêmicas comentadas por Tiririca [VIDEO], estão as reuniões secretas que acontecem nos bastidores do poder em Brasília. De acordo com o cantor e humorista, ele já foi convidado para participar dessas reuniões, mas se recusou a ir a qualquer encontro que acontece longe dos holofotes.

Voto a favor de Dilma Rousseff

O ano de 2016 foi bastante conturbado na política nacional. A presidente Dilma Rousseff (PT) sofreu um processo de impeachment e deixou o cargo nas mãos de seu vice, Michel Temer (PMDB).

Mas isso não aconteceu sem que Dilma tentasse, a todo custo, permanecer no cargo. Segundo Tiririca, ele recebeu ofertas milionárias para votar a favor da presidente no processo que culminou com sua saída do cargo.

Tiririca votou a favor de abertura do processo durante votação na Câmara dos Deputados, que foi transmitida ao vivo para todo o Brasil no dia 17 de abril de 2016, um domingo.

Aposentadoria

Tiririca resolveu se aventurar na política nas eleições de 2010. Com o slogan “Pior que não fica”, o humorista atingiu uma votação para lá de expressiva. Foram 1,3 milhão de votos no estado de São Paulo, o que o tornou o deputado federal mais votado do Brasil na ocasião.

Em 2014, Tiririca voltou a se candidatar como deputado federal pelo mesmo partido, o Partido da República (PR), e novamente foi eleito. Dessa vez, ele recebeu 1,01 milhão de votos. Depois de oito anos no Congresso Nacional, o deputado federal resolveu se aposentar e já garantiu que não vai continuar na política. Ele fala sobre isso na entrevista a Roberto Cabrini.

Política decepcionante

Tiririca não será o primeiro a ficar espantado com o que viu em Brasília, nem será o último. A vida política no Brasil é bastante complicada e muito dos políticos que chegam à Brasília já conhecem como tudo funciona por fazer parte de família tradicional na politicagem nacional.

Quem chega ao Congresso Nacional sem conhecer bem como funciona, acaba ficando enojado com os acordos e trocas de favores que fogem do alcance da grande população dos estados que elegem os seus representantes para mandatos de quatro anos.