O ex-ministro petista, Antonio Palocci, resolveu falar tudo que sabe e desmascarar a Corrupção que envolve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a senadora e presidente do PT [VIDEO], Gleisi Hoffmann e outros membros do partido.

Uma informação importante foi revelada pelo ex-ministro e que pode complicar a vida de Lula e do próprio partido. De acordo com Palocci, um ex-ditador Líbio, que esteve por mais de 40 anos no poder, chegou a repassar 'secretamente' a quantia de R$ 1 milhão para o petista.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

O objetivo era financiar a campanha de Lula no ano de 2002. O ex-ditador, Muamar Kadafi, acabou sendo capturado e morto no final de 2011.

Esse caso faz parte da delação premiada do ex-ministro e ele já afirmou que ainda possui muitas outras informações.

Preso desde de setembro de 2016, Palocci não quer pagar a corrupção vendo Lula solto e até mesmo com condições de disputar as Eleições de 2018. Palocci foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro numa das fases da Operação Lava Jato. Foi o juiz federal Sérgio Moro que decretou a sua prisão.

A carta

O ex-ministro chegou a fazer outra revelação surpreendente. Ele escreveu a mão uma carta com três páginas e meia e pediu para seus advogados que a digitassem e imprimissem. Na carta, foi enviada uma mensagem forte com vários ataques à senadora Gleisi Hoffmann.

Bem montada e farta de informações, a carta 'encosta' Lula e o PT na parede. Ele afirmou que tanto o ex-presidente quanto a presidente do partido foram corrompidos pelo 'tudo pode' e pelos 'petroladores'.

Em seu acordo com a Justiça, Palocci também havia falado de um 'pacto de sangue' de Lula com o empresário Emílio Odebrecht, onde teria sido acertado R$ 300 milhões em propina para o PT.

Lula sempre negou tudo, mas o ex-ministro afirma que irá provar as irregularidades.

Relações com Kadafi

Lula e Kadafi sempre tiveram uma relação cordial. O ex-ditador chegava a chamar o petista de 'amigo' ou 'irmão'.

Muitas pessoas não gostavam dessa afinidade do ex-presidente com o ex-ditador. Surgiram várias críticas, mas Lula sempre levou tudo em 'banho-maria'. Assessores próximos do ex-presidente, como o ex-ministro Celso Amorim, criticaram muito essa relação entre os dois.

Lula [VIDEO] dizia que não tinha nenhum preconceito com o ex-ditador líbio e ressaltava que era importante para o Brasil essa diplomacia pragmática.

A delação de Palocci ainda está no começo. Lula e o PT terão que dar muitas explicações ao povo.