Com a entrada de 2018, a expectativa para o julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO], em 24 de janeiro, aumenta. Os advogados de defesa do petista continuam seu trabalho e constantemente tentam provar a inocência de Lula. Não foi diferente em recente ação na página oficial do Facebook do Partido dos Trabalhadores [VIDEO]. Os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins ficaram cerca de duas horas respondendo perguntas dos internautas para tentar esclarecer dúvidas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

Os advogados basearam a defesa do ex-presidente em três pontos. A primeira diz respeito a competência da 13ª Vara Federal de Curitiba para julgar o caso.

Segundo os advogados, na própria sentença, Moro não consegue relacionar os supostos crimes a recursos da Petrobras, o que teria sido justamente o argumento para entregar a ação ao juiz de Curitiba.

O segundo ponto seria um suposto cerceamento da defesa. Os advogados afirmam que diversos pontos não foram atendidos, como acesso a provas e o grampeamento dos telefones do escritório de advocacia.

Por fim, o terceiro ponto seria o mérito da decisão de Moro. Os advogados argumentam que não houve nenhum ato do ex-presidente em favor da OAS durante seu governo. E concluem dizendo que conseguiram até provar que o triplex não é de Lula.