A condenação unânime em segunda instância de Lula [VIDEO] no Tribunal Regional Federal da 4ª Região na última semana fez aumentar ainda mais a desconfiança da alta cúpula petista contra os advogados de defesa do ex-presidente, chefiados por Cristiano Zanin Martins. A sugestão é que a defesa ganhe o reforço do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence.

A estratégia que a cúpula petista e advogados do partido querem adotar é a inclusão de um nome com um trânsito maior entre as instâncias superiores do Judiciário do País. Para isso, nada melhor do que um ex-integrante da Suprema Corte brasileira. Pertence é amigo pessoal de #Lula e tem uma proximidade considerável com a presidente do STF, Cármen Lúcia [VIDEO].

Segundo UOL, a primeira pessoa a sugerir a Lula que indicasse Lúcia ao STF teria sido Pertence, em 2006.

Pré-candidatura

No último sábado (27), em nota oficial em seu site, o Partido dos Trabalhadores afirmou que lançará nesta semana a pré-candidatura de Lula a Presidência da República na eleição de outubro. Segundo a nota, serão realizados diversos atos pelos quatro cantos do Brasil, com a presença ou não do ex-presidente, oficializando sua candidatura.

"A candidatura de Lula ou de qualquer outra pessoa resolve-se na Justiça Eleitoral, a partir do registro no dia 15 de agosto. Lula é nosso candidato!", cravou a nota.

O PT aproveitou para criticar o julgamento do ex-presidente realizado na última quarta-feira (24), considerando "injusto e persecutório". E finalizou dizendo que enviará aos diretórios nacionais a partir do dia 30 de janeiro material criticando a sentença e reafirmando a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva.

Reunião

Na quinta-feira (25), a executiva nacional do PT se reuniu para discutir o resultado do julgamento de Lula e a estratégia a ser adotada pós-condenação em segunda instância. Ficou estabelecido que ainda no primeiro semestre, antes da análise feita pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre as candidaturas, será lançada uma "Carta aos Brasileiros" assinada por Lula com foco em propostas e alvo nas eleições.

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, segundo informações do UOL, teria declarado "guerra" ao "Pixuleco", boneco inflável levado por opositores ao ex-presidente Lula em sua alusão vestido de presidiário. A análise da executiva é que o boneco ganhou grande espaço nas manifestações e apoio.

Não foi ainda definida uma estratégia para rebater o "Pixuleco", mas o uso de violência quando ele for inflado foi descartada.

Articulação

O DEM viu com bons olhos e uma oportunidade após a condenação do ex-presidente Lula na última semana. O partido já vem sinalizando há algum tempo a vontade de lançar candidato próprio ao pleito presidencial desse ano.

O principal nome estudado pelo partido é o de Rodrigo Maia (RJ), presidente da Câmara dos Deputados.

O Democratas pretende entrar em contato com possíveis aliados do petista para buscar apoio à candidatura de Maia, caso Lula não possa disputar a eleição. Os partidos do Centrão seriam os principais alvos: PR, PP, PRB, PTB e PSD. O objetivo é criar uma coalizão de partidos de centro que tenderiam a apoiar Lula por sua vantagem nas pesquisas de intenção de voto.

Rodrigo Maia constantemente nega que seja pré-candidato à presidência da República. Em viagem à Nova Iorque no início do ano, o presidente da Câmara afirmou que sua preocupação no momento é a agenda da Casa Legislativa, não pensa em eleição ainda. Em novembro do ano passado, ao comentar sobre o cenário presidencial, Maia afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não é imbatível. #Dentro da política