Cármen Lúcia, ministra presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), barrou a posse da deputada Cristiane Brasil [VIDEO](PTB-RJ) que estava marcada para às 9h desta segunda-feira (22). A deputada assumiria o Ministério do Trabalho, após indicação de seu pai e presidente do partido, o mensaleiro Roberto Jefferson.

No sábado (20), o Superior Tribunal de Justiça (STJ), por meio de seu vice-presidente, Humberto Martins, havia liberado a posse. Um grupo de advogados trabalhistas entrou com uma ação contra a decisão junto ao STF. A ministra analisou a reivindicação e suspendeu a posse, por enquanto.

A alegação do grupo que conseguiu barrar a nomeação de Cristiane desde a primeira instância é que ela fere o princípio da moralidade previsto na Constituição.

A filha do mensaleiro já foi condenada em uma ação trabalhista.

Segundo Cármen Lúcia, sua decisão é "precária e urgente". E completou dizendo que ainda pode ser revista. A presidente do STF deu 48h para que acusação e defesa se manifestem sobre o caso e pediu que a Procuradoria-Geral da República (PGR) também apresente argumentos.

Michel Temer [VIDEO] anunciou Cristiane Brasil como ministra no dia 3 de janeiro, mas desde então vem enfrentando uma batalha judicial que ainda terá alguns capítulos antes de seu fim.