Em Brasília, muitas pessoas próximas ao presidente Michel Temer sabem que ele não está em seus melhores momentos de Saúde. Alvo de uma séria infecção urinária, já é cogitado dele deixar o cargo para ter uma vida mais voltada a sua recuperação. O nome do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já está sendo especulado para entrar no lugar de Temer.

Mesmo diante de todas essas informações da gravidade de sua saúde, o peemedebista tenta mostrar um outro lado para as pessoas. Ele tem decidido adiar exames e chegou a fazer caminhadas nas redondezas do Planalto para mostrar que goza de boa saúde. Porém, as coisas não são bem assim.

Temer estaria se segurando no cargo até onde puder.

Recentemente, ele passou por dois procedimentos cirúrgicos e uma angioplastia. Conforme informações do jornal Folha de S.Paulo, surgiram alguns rumores de que o presidente estaria também aproveitando a sua situação para uma tentativa de "humanizar" seu Governo. Cada recuperação dele é apresentada como uma vitória.

Segundo as informações, uma das causas que têm tirado o sono do peemedebista e provavelmente tem ajudado para que fique ainda mais doente é a tentativa de aprovação da reforma da Previdência. O ritmo de trabalho aumentou e a sua dedicação nesse assunto o fez deixar a saúde um pouco de lado. Um dos pedidos do presidente aos seus aliados é que não deixem a questão da Previdência morrer. Ele afirmou que isso seria algo péssimo para o Brasil.

A votação está prevista para ocorrer no dia 19 de fevereiro, e o governo ainda está distante dos 308 votos necessários para se aprovar a proposta.

Governo frágil

Até o mês de abril, Temer pode perder metade de seu ministério. Muitos dos ministros querem disputar as eleições de outubro e podem abandonar o presidente. Isso acabaria comprometendo o andamento das propostas.

A fuga de alguns dos ministros pode ter uma explicação. Eles querem vencer as eleições [VIDEO] para continuarem em cargos que proporcionem o foro privilegiado. Dessa forma, ficarão livres das mãos do juiz federal Sérgio Moro ou outros juízes rigorosos da Operação Lava Jato.

Impacto

Cientistas políticos veem o fato como um impacto para o funcionamento do governo. Se a pasta não tem um ministro para determinar as regras, tudo acaba virando bagunça. Uma das piores perdas de Temer pode ser a saída do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Ele é o grande responsável pela área econômica e tem se destacado no governo [VIDEO].

Mesmo o governo de Temer sendo alvo de muitas críticas, a economia brasileira começa a dar os primeiros sinais de melhora e o entusiasmo do empresariado tem aumentado.