Conforme apurou o site "O Antagonista", um dos desembargadores que julgará os recursos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 24 de janeiro, está sendo alvo de grande pressão por membros do PT. O desembargador Victor Luiz dos Santos Laus estaria sendo persuadido a pedir vista e absolver o petista.

Caso ele aceite os pedidos de imploração feitos por essas pessoas, o desembargador poderia ser promovido a ministro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), cargo que um dia ele tentou, mas não teve êxito.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

Uma outra matéria do próprio site "O Antagonista" também afirmou que Laus estaria atento sobre este fato e que não iria cair nessa "arapuca" petista. O desembargador tem consciência que para conseguir um assento no STJ, é preciso um acordo com os seus colegas de tribunal.

Dessa forma, ele poderia concorrer à vaga novamente.

Ele é considerado muito rigoroso e reservado. Essas atitudes de possíveis membros do PT podem ser um fato negativo para Lula e eles mesmos podem estar adiantando a prisão do petista. Laus chegou ao Tribunal Regional Federal da 4° Região [VIDEO] aos 38 anos.

Revolta do procurador

O procurador Ailton Benedito não está gostando do que vê. Ele acredita que o ex-presidente Lula [VIDEO] estaria tendo um tratamento diferenciado na Justiça. De acordo com o procurador, é inadmissível Lula e membros do PT pressionarem desembargadores e incitarem a violência no local onde será realizado o julgamento do ex-presidente.

Conforme as informações, o ex-ministro José Dirceu estaria por trás de movimentos de esquerda para tentarem causar bagunça em Porto Alegre.

O próprio Dirceu avisou que esse seria o "Dia da Revolta".

Segundo Benedito, essa invasão à Porto Alegre por parte dos militantes para pressionarem o Judiciário, é extremamente grave e merecia prisão dos responsáveis

O procurador chegou a citar o chefão do PCC, Marcola, que se fizesse esses tipos de ameaças, já estaria sendo transferido para uma prisão de segurança máxima.

Pressão

Essa pressão, conforme os dizeres do procurador, há por trás, ninguém menos que Lula. O acusado de ser chefe da organização criminosa que devastou a Petrobras poderia ter a sua prisão preventiva decretada, caso fosse confirmado a sua responsabilidade em atiçar o ódio dos seus militantes.

A Justiça brasileira não pode aceitar esse tipo de coisa. Lula deveria ficar isolado e não ter nenhum contato com seus companheiros, até que seus recursos sejam julgados.