Um dos principais defensores contratados pelo ex-presidente da República [VIDEO] Luiz Inácio Lula da Silva, advogado Cristiano Zanin Martins, se manifestou na tarde desta quinta-feira (04) ao lado de sua irmã também advogada, Valeska Martins. Ambos defensores do ex-mandatário petista se utilizaram das redes sociais para realizar uma transmissão ao vivo pela internet, de modo que pudessem expor suas argumentações em relação ao processo de Corrupção que envolve o ex-presidente da República.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

A entrevista ao vivo foi concretizada nas redes sociais, e ocorreu por meio do Partido dos trabalhadores (PT). Foram cerca de duas horas de transmissão em que os advogados de Lula chegaram a responder questionamentos formulados por internautas.

Vale lembrar que o ex-presidente Lula foi condenado a mais de nove anos e meio de prisão, sob regime fechado, de acordo com decisão proferida pelo juiz Sérgio Moro, que é o magistrado titular e primeira instância, da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, capital do estado do Paraná. O juiz paranaense é o responsável pela condução dos trabalhos da maior operação anticorrupção no Brasil; a Operação Lava Jato [VIDEO], da Polícia Federal.

O petista responde a crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, em se tratando da obtenção, através de recursos públicos ilegais, de propinas provenientes do mega esquema de corrupção que levou à "sangria" dos cofres da maior estatal brasileira, a Petrobras. A propina teria sido disponibilizada por meio de empreiteiras envolvidas no esquema de distribuição de dinheiro, cujos valores foram dirigidos para que Lula adquirisse um imóvel de luxo localizado na cidade litorânea paulista de Guarujá.

Frentes da defesa para tentativa de absolvição de Lula

Segundo advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, os desembargadores do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, terão que responder a três distintas indagações da defesa, em relação à sentença de Moro. Um dos questionamentos se refere à competência da Justiça Federal do Paraná para julgar o processo de Lula. Outro questionamento se refere ao suposto cerceamento de defesa e por fim, a indagação referente ao mérito da decisão. A decisão do TRF4 deverá ser dada no próximo dia 24 de janeiro, cujo julgamento tende a atrair as atenções de todo o país.

Os advogados de Lula afirmam estar atentos ao que chamam de "celeridade seletiva”do processo. Entretanto, os defensores se recusaram a responder algumas questões de internautas, referentes à condição de elegibilidade de Lula, como também, em se tratando de alternativas recursais, com uma eventual condenação.