Dilma Rousseff é mais uma integrante da alta cúpula do PT a estar em Porto Alegre. Ela reforça o apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, que será julgado em segunda instância nesta quarta-feira pelo TRF-4 no caso do tríplex, no Guarujá. No ano passado, o juiz federal Sérgio Moro condenou o líder petista a nove anos e seis meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Nesta segunda-feira, Dilma [VIDEO] participou do evento "Diálogos internacionais para a democracia" e fez uma forte defesa ao ex-presidente Lula, que em sua opinião é inocente e "tem o direito" de concorrer à presidência em 2018.

"Todos podem concorrer e disputar as eleições, enquanto o Lula [VIDEO] é acusado sem base legal e com falhas graves jurídicas", disse Dilma, lembrando casos como o de Aécio Neves, envolvido na solicitação de propina, e Michel Temer, que teve um assessor filmado com mala de dinheiro.

Ao mesmo tempo, Dilma projetou o pleito de 2018 e disse que o PT não tem um "plano B" caso Lula seja condenado e não possa participar da próxima disputa nas urnas brasileiras.

"Nós não vamos resolver essa contradição. O que é a contradição? Ele estar sendo culpado e o fato de ser inocente. E uma pessoa inocente pode concorrer".