Nesta sexta-feira (19), a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) revelou a sua indignação caso, por ventura, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha sua sentença confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) [VIDEO], em Porto Alegre. Segundo ela, o País ficará de fato ingovernável uma vez que sua candidatura seja invalidada.

Com a proximidade do julgamento do petista, marcado para o próximo dia 24 de janeiro, a ex-chefe de Estado resolveu se pronunciar, segundo ela, para alertar a população do Brasil. O ex-presidente pleiteou na Justiça a reforma da sentença proferida pelo juiz comandante da Operação Lava Jato, Sérgio Moro, que atualmente responde pela 13ª Vara Criminal, em Curitiba.

Lula foi condenado pelo caso do tríplex, no Guarujá [VIDEO]. O magistrado reconheceu que o imóvel do litígio foi uma espécie de pagamento de vantagens indevidas (propina) pela empreiteira OAS em troca de favorecimentos ilícitos junto a Petrobras, ainda quando o ex-presidente usufruía de seu mandato.

Sua pena foi calculada em nove anos e seis meses de prisão, em regime fechado, por incidir nos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Porém, com o recurso ao TRF-4, talvez também para retardar o cumprimento da prisão, uma vez que a dinâmica suspende o efeito da sentença, e segundo a nova legislação penal, o réu julgado e condenado em primeira instancia também poderá socorrer-se sos recursos em segundo grau.

Entretanto, com a reafirmação da sentença, o petista alcançará a disponibilidade para os Embargos de Declaração ou os Embargos Infringente, ambos serão julgado pelo próprio Tribunal (TRF-4) [VIDEO].

Logo após o trâmite, a Corte Superior poderá requerer a execução de sentença, se a mesma não tiver sido reformada.

Rousseff fez questão de defender o petista ao relatar que o candidato que sair vitorioso em outubro, se não for o Lula, será incapaz de governar o País. Ademais, um concorrente da estirpe de Lula, se for afastado de forma ingrata, será a completa ingovernabilidade, frisou a ex-chefe de Estado.

No entanto, a grande dificuldade que o Partido dos Trabalhadores (PT) [VIDEO] enfrenta em um futuro próximo é exatamente a deliberação do julgamento desta quarta-feira. Se a sentença permanecer, Lula ainda poderá entrar com liminares para disputar o pleito.

Dilma finalizou enfatizando que ela não acredita em prisão para um herói que livrou o Brasil da fome e dos arquivos da ONU, pela sua precariedade mundialmente conhecida.