O prefeito João Doria sancionou, na semana passada, a lei que dá o nome da antropóloga e ex-primeira dama, Dra. Ruth Cardoso, a parte da Av. Nações Unidas. O texto, de autoria dos tucanos João Jorge e Fabio Riva, altera o trecho entre a Avenida Embaixador Macedo Soares, na Lapa, até a Rua Hungria, em Pinheiros. A informação foi divulgada na edição do dia 20 de janeiro do Diário Oficial do Município de São Paulo.

A homenagem à Ruth Cardoso acontece após recente polêmica em torno da nomeação do viaduto Marisa Letícia, na região do Jardim São Luis.

No fim do ano passado, a bancada municipal do PT na Câmara propôs nomear o prolongamento da avenida Chucri Zaidan em homenagem à esposa do ex-presidente Lula, que faleceu no ano passado vítima de um AVC.

No entanto, a alteração no local foi recusada pelos vereadores e a nomeação acabou transferida para o viaduto que conecta a estrada M'Boi Mirim à avenida Luiz Gushiken. O prefeito João Doria foi um dos pivôs da polêmica. O tucano cancelou a cerimônia de inauguração do viaduto e fez comentários contra a homenagem.

De acordo com matéria do jornal Estado de São Paulo, o prefeito alegou ser injusta a homenagem de uma pessoa envolvida no maior escândalo de corrupção do país, em referência à Operação Lava-Jato. Marisa Letícia foi acusada no caso do tríplex junto ao presidente Lula.

O vereador João Jorge comemorou a sanção da homenagem à ex-primeira dama Cardoso no Faceobok e no Twitter. Já Doria, que está no Fórum Econômico Mundial, em Davos, não se pronunciou sobre a questão.

Ruth Cardoso

Ruth Cardoso foi esposa do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que governou o país entre 1995-2003. A antropóloga, doutora pela Universidade de São Paulo, se destacou no ambiente acadêmico por pesquisas sobre movimentos sociais. Ela faleceu em 2008 por complicações cardíacas.

Além disso, segundo a biografia do portal UOL, a pesquisadora fundou e presidiu durante os oito anos de FHC a Comunidade Solidária.

O programa, constituído por decreto em 1995, visava "coordenar as ações governamentais voltadas para o atendimento da parcela da população que não dispõe de meios para prover suas necessidades básicas e, em especial, o combate à fome e à pobreza."As ações da Comunidade Solidária integravam a Rede de Proteção Social do governo FHC.

A atuação na Comunidade Solidária e em outras frentes, como o Bolsa Escola, fez o nome pesquisadora ser associado a criação do Bolsa Família. Entretanto, apesar de conservar semelhanças, o programa foi criado somente em 2004, via decreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Após o término do mandato de FHC, o governo petista substitui a Comunidade Solidária e outras iniciativas do governo anterior por seus próprios programas de distribuição de renda.

Ruth Cardoso então dedicou-se a administração da organização Comunitas, cujo objetivo é "contribuir para o aprimoramento dos investimentos sociais corporativos e estimular a participação da iniciativa privada no desenvolvimento social e econômico do país."

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!