O cenário das Eleições de 2018 mudou completamente nesta sexta-feira (19) com o anúncio da pré-candidatura do senador Fernando Collor de Mello [VIDEO] (PTC - AL). Ele foi presidente do Brasil entre os anos de 1990 e 1992, mas acabou sofrendo um processo de impeachment e renunciou ao cargo.

Collor falou sobre sua decisão em uma entrevista à Rádio 96 FM, de Arapiraca, que faz parte do grupo de comunicação de sua família. Segundo o político, ele tem mais a oferecer ao País pelo fato de já ter sido presidente da República. O senador alagoano disse que seu partido é conhecido, apenas mudou de nome, mas tem a mesma ideologia. Além disso, segundo afirmou durante a entrevista, todos conhecem o seu jeito de pensar.

"Sabem como penso e ajo para atingir os objetivos que a população deseja", disse ele em relação à qualidade de vida almejada pelos brasileiros.

O ex-presidente ainda destacou durante o anúncio de sua pré-candidatura à presidência da República, que esse é o momento mais importante em sua trajetória política porque tomou uma decisão que considera importante. "Obrigado e vamos à vitória", disse o presidenciável.

De volta à casa

A filiação de Fernando Collor de Mello [VIDEO] ao PTC aconteceu em 2016, mas para ele é como se voltasse para casa, porque o partido é uma nova versão do PRN, que o elegeu presidente em 1989. Ele disse que pesou na sua decisao de escolher o PTC para se filiar e lançar a sua pré-candidatura, o fato de se identificar com o projeto político da legenda e também pelo lado histórico, referindo-se ao presidente da executiva nacional, Daniel Tourinho e outros dirigentes.

Collor diz que saiu da presidência porque não soube se relacionar com os parlamentares

Em 2016, Collor disse em entrevista ao portal UOL que só saiu da presidência porque não teve habilidade para se relacionar com os parlamentares. Para ele, esse foi um dos grandes equívocos que cometeu na vida pública. Segundo ele, a maneira como agiu não foi correta e considerou que teve uma "relação inadequada com o congresso".

Brasil poderá ter sistema parlamentarista se Collor for eleito presidente

Desde sua eleição ao Senado, Collor defende em sua plataforma a implantação do parlamentarismo no País. Segundo ele, a política está desacreditada, mas com a adoção do parlamentarismo esse cenário poderia mudar, porque traria mais eficácia, dinamismo e agilidade para o governo.

Com anúncio da pré-candidatura de Fernando Collor de Mello à presidência, as próximas pesquisas deverão sofrer alterações, porém não se sabe como será a reação dos políticos e eleitores em relação à novidade.