A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, se manifestou a um site esquerdista, a respeito do julgamento do ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva. Com a proximidade da data do julgamento, no próximo dia 24 de janeiro, no Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul. Vale salientar que o ex-presidente Lula será julgado, através dos votos de três desembargadores federais, em relação à sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro, em primeiro grau, relacionada ao processo de aquisição de um imóvel localizado na cidade de Guarujá, no litoral sul do estado de São Paulo.

Lula foi condenado pelo magistrado paranaense, a nove anos e seis meses de prisão, cuja decisão confere a regime fechado, além do pagamento de multas. O juiz Sérgio Moro é o magistrado titular que comanda a décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal da cidade de Curitiba, capital do estado do Paraná. Moro é responsável pela força-tarefa de investigação da maior operação anticorrupção em toda a história recente do Brasil; a Operação Lava Jato [VIDEO], da Polícia Federal.

Presidente do PT 'ameaça' Poder Judiciário

A situação de Lula, referente às acusações que apuram prováveis crimes, além da possibilidade de prejudicar as pretensões políticas do ex-presidente Lula, que poderá ver os planos de candidatura ao Palácio do Planalto, serem "naufragados". O julgamento deverá ter um desfecho em segunda instância, cuja decisão caberá a três desembargadores, o que poderá resultar na inelegibilidade do petista e, posteriormente, até mesmo num pedido de decretação de prisão, após todos os recursos cabíveis por seus advogados de defesa à Justiça serem analisados, se confirmada a sentença dada pelo juiz Sérgio Moro.

Entretanto, algumas figuras do PT, em um tom de "desespero" com a possível condenação do ex-mandatário, se expressaram contrariamente ao julgamento de Lula. Um dos claros exemplos de afronta ao Judiciário, partiu da presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, que durante uma entrevista ao site "Poder360", que "para prender o Lula, terá que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente, aí vai ter que matar", afirmou a dirigente petista e senadora da sigla pelo estado do Paraná.

O processo contrário ao ex-presidente Lula se refere à práticas criminosas de "colarinho branco", como por exemplo, acusações que pesam contra o petista, em se tratando de crimes de Corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Entretanto, vale lembar que o próprio ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Sérgio Etchegoyen, foi contundente, ao afirmar ao presidente Michel Temer, de que não haveriam grandes riscos de que ocorram episódios de violência em Porto Alegre, durante o julgamento de Lula, já que as forças policiais do Rio Grande do Sul, estariam preparadas para qualquer eventual situação de ameaça à lei e à ordem pública.