O julgamento do ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva, relativo à propriedade do apartamento tríplex do Guarujá, no Tribunal de segunda instância, segue a todo vapor no Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul. Vale ressaltar que, de acordo com a proclamação do voto do desembargador-relator da Operação Lava Jato [VIDEO], no Tribunal de segunda instância, João Pedro Gebran Neto, o ex-presidente Lula teve sua condenação confirmada, com o aumento da pena proferida pelo juiz Sérgio Moro, em primeiro grau, acrescentando-se à pena aumentada pela prática criminosa de lavagem de dinheiro e Corrupção passiva, para aproximadamente 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado.

Entretanto, para que seja confirmada a condenação do ex-mandatário petista, devem ser confirmados os votos dos desembargadores federais, Leandro Paulsen, que preside a Oitava Turma do TRF4 e Victor Laus. O ex-presidente Lula tornou-se um dos principais alvos do mega esquema de corrupção da Petrobras, no âmbito das investigações da força-tarefa da Lava Jato, considerada a maior operação de combate à corrupção em toda a história recente do Brasil, além de ser reconhecida como uma das maiores operações contra o crime de "colarinho branco", já implementadas e desencadeadas em todo o mundo.

Petistas começam a se manifestar contra Lula

Com a iminente condenação "batendo às portas" do ex-presidente Lula, alguns ex-filiados petistas, embora publicamente, evitem fazer críticas contra ele, poderiam acarretar que o cenário pudesse mudar se o petista for preso, em caráter de regime fechado, em se tratando, do caso do apartamento tríplex do Guarujá, que foi adquirido por meio de recursos públicos angariados ilicitamente, através de dinheiro público oriundo dos cofres públicos da maior estatal brasileira, a Petrobras, por meio de distribuição de propinas provenientes de grandes empreiteiras envolvidas no escândalo de corrupção, denominado de "Petrolão".

Porém, foram verificados "ataques" mais duros dirigidos ao ex-presidente Lula, quando se viram, de certa forma, "abandonados" pelo ex-mandatário petista como, por exemplo, o ex-ministro da Fazenda do governo Lula, Antônio Palocci Filho e o ex-senador petista, Delcídio Amaral. O próprio ex-senador supramencionado se referiu a Lula, ao comparar com uma música da banda "Ultraje a Rigor". De acordo com a letra de uma das canções da banda, o ex-senador fez um "paralelo", em relação ao ex-presidente, ao considerar o modo com que Lula se mostrava, segundo Amaral; "eu me amo, eu me amo, já que não posso mais vivem sem mim". Alguns petistas considerados "graúdos" da mesma agremiação partidária de Lula, se manifestaram em privado, ao considerar que o ex-presidente acabou se "deslumbrando com o poder".

Um outro petista que não quis se identificar afirmou que se Lula ter sua condenação confirmada com consequente prisão, deverá ser "abandonado" aos poucos, conforme o mesmo tenha ocorrido com os ex-ministros José Dirceu, Luiz Gushiken e Antônio Palocci.