Um dos assuntos mais recorrentes na mídia brasileira e até mundial nos últimos dias é o julgamento do ex-presidente Lula na cidade de Porto Alegre no próximo dia 24 deste mês. Crise econômica sem precedentes na história da República no país; polarização da sociedade brasileira entre os movimentos políticos de esquerda e direita, bem como, o rebaixamento das notas de crédito do Brasil contribuíram negativamente para o acirramento do contexto de um modo geral.

Não é à toa que Lula ao conceder entrevista ao renomado jornal da Alemanha “Die Zeit” (O Tempo), fez questão de incorporar o papel de um novo “cavalheiro da esperança”, ao se pronunciar como estando vivo e de pé para lutar para poder ser candidato à presidente do Brasil, favorecendo sempre a população mais pobre.

Thomas Fischermann, o jornalista alemão que conduziu a entrevista com Lula, em um dado momento questionou ao pernambucano, que mesmo se ele for eleito novamente através da votação popular, o que o faz encarar com tanto destemor tamanhas adversidades que surgem pelo caminho.

Foi o que bastou para Lula emendar praticamente uma retórica de comício na sua resposta, pois o ex-presidente ressaltou que a sua honra pessoal fala mais alto do que tudo, [VIDEO]pois os indivíduos que o processam não o conhecem de fato, pois do contrário, jamais teriam a envergadura para afirmar que ele é ladrão.

Lula complementou dizendo se sentir orgulhoso por tudo de bom que fez pelo país e pelo povo brasileiro. Na entrevista, o cacique do PT externou o seguinte desejo: “quero que um dia eles se desculpem comigo - e com o povo brasileiro", referindo-se claramente aos seus algozes e inimigos políticos.

Na entrevista ao Die Zeit, Lula afirmou que mesmo se for julgado e condenado, não irá parar com suas atividades. Na sequência do que acontecer, ele embarcará para a Etiópia na África, onde participará de uma conferência acerca da fome mundial.

Lula reiterou que o mundo sabe reconhecer que o Brasil desenvolveu um dos melhores programas de combate à fome durante o governo dele próprio. [VIDEO] Após o período de dois dias que permanecer na Etiópia, o ex-presidente liderará aqui mesmo no Brasil, uma caravana gigantesca com os seus apoiadores, ou seja, uma verdadeira caravana nacional.

A marcha terá início no Sul e depois se concentrará no Norte da nação gigante Sul-americana. Segundo Lula O PT (Partido dos Trabalhadores) produziu provas suficientes que soube governar o Brasil, fazendo o país ter o respeito que merece no exterior, principalmente com o crescimento notável da economia, concluiu o ex-presidente.

Lula falou ainda que o processo do triplex da OAS teve início com as inverdades veiculadas pela mídia golpista, especificamente o jornal “O Globo” da família Marinho, afirmando que ele era o proprietário do imóvel, o que foi se transformando em “verdade” com as mentiras nas sindicâncias da Polícia Federal.

Porém o erro mais crasso foi o de um juiz federal (Sérgio Moro) ter deferido tais mentiras como se fossem algo real ou verdadeiro, despertando como disse Lula, a impressão de que os brasileiros de bem lidam sim com uma sentença política e não com uma sentença realmente jurídica.