Um dos mais destacados generais de alta patente do Exército brasileiro e ministro-chefe do Gabinete se Segurança Institucional da Presidência da República, Sérgio Etchegoyen, se manifestou, de modo enfático, a respeito da situação que permeia a realidade para tão esperada e aguardada data de julgamento do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Vale lembrar que o ex-presidente da República deverá ser julgado no próximo dia 24 de janeiro, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre (RS), que é a Corte de Apelação ou Tribunal de segunda instância, responsável por analisar a condenação dada ao petista de mais de nove anos e meio de prisão em regime fechado, além do pagamento de multas.

Publicidade
Publicidade

A sentença foi proferida pelo juiz federal Sérgio Moro, magistrado de primeira instância, a partir da 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Vale ressaltar que o juiz Sérgio Moro é o magistrado responsável pelos julgamento no Paraná das ações propostas pela força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato, que é considerada a maior operação anticorrupção já desencadeada no Brasil, além de ser reconhecida como uma das maiores em todo o mundo.

Publicidade

Relatos do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional

A mobilização do universo político está cada vez mais aparente e demonstrada através de relatos nos bastidores em se tratando do cenário do julgamento do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Três desembargadores federais irão definir a situação criminal e política do ex-mandatário no próximo dia 24, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Se confirmada a condenação sentenciada pelo juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Lula, além de inelegível, poderá enfrentar a decretação de prisão.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Governo

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, fez relatos contundentes ao presidente Michel Temer a respeito da situação para a data do julgamento. De acordo com o militar, todo o esquema de segurança montado pelas forças locais do estado do Rio Grande do Sul pode assegurar uma ação semelhante a realizada em Curitiba durante os depoimentos de Lula ao juiz Sérgio Moro.

Os relatos de Etchegoyen a Michel Temer foram após ele ter almoçado com o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz.

Sérgio Etchegoyen e Thompson Flores são considerados muito próximos. Alguns analistas de mercado acreditam que Lula será condenado por um placar de 3 a 0 ou 2 a 1, de acordo com os votos dos três desembargadores federais aptos a julgar o processo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo