O dia 24 de janeiro está chegando e tudo está sendo preparado para que o julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ocorra sem que haja nenhum problema. Porém, os militantes petistas já afirmaram que, se for decretada prisão de Lula ou os desembargadores forem unânimes em confirmar a sentença do juiz federal Sérgio Moro, eles se revoltarão e causarão terror em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

Diante disso, o prefeito da cidade, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), decidiu pedir ao presidente Michel Temer uma intervenção das Forças Armadas para garantir a segurança das pessoas e dos membros do Tribunal Regional Federal. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, não gostou da atitude do prefeito e se revoltou ao saber que a assessoria do Planalto iria encaminhar o pedido para análise do seu ministério.

De acordo com Jungmann, as coisas estão acontecendo de uma forma totalmente errada. Ele comentou que a pessoa que deveria pedir as tropas é o governador do Estado e isso deveria ser feito diretamente ao presidente, que, logo depois, acionaria o ministério.

A forma como tudo está acontecendo é ilegal e impossível, declarou o ministro. Segundo Jungmann, no momento em que o pedido do prefeito chegar ao ministério, ele será devolvido, ou seja, será ignorado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Governo

Pedido de Marchezan

O prefeito de Porto Alegre enviou uma carta a Temer dizendo que está preocupado com a integridade dos moradores da capital gaúcha. Segundo ele, há muitas ameaças de movimentos sociais que querem causar confusão e insegurança para as pessoas.

O prefeito também citou que existe por trás desses movimentos apoio de senadores de extrema esquerda, que enaltecem a desobediência civil e luta. Eles querem intimidar os desembargadores.

Provocações

Nelson Marchezan sempre ironizou os petistas e chegou a fazer várias brincadeiras com os aliados de Lula. Por exemplo, no ano passado, durante as festas juninas, o prefeito chegou a dizer nas redes sociais que, se tivesse alguém que pertencesse a certos partidos vermelhos, que eles estariam proibidos de formar quadrilha.

O tucano citou uma invasão à cidade e quer a proteção do Exército.

O ex-ministro José Dirceu chegou a gravar um vídeo repudiando, segundo ele, a "ditadura da toga". É uma crítica ao Judiciário que estaria perseguindo Lula, em sua opinião. O grande temor dos petistas é que o ex-presidente seja preso. Manifestações por todo o Brasil já estão sendo organizadas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo