O Livres, corrente libertária que abandonou o PSL após o partido anunciar um pré-acordo com o presidenciável Jair Messias Bolsonaro, anunciou nessa segunda-feira (22) que irá ter candidatos do grupo em várias siglas para concorrer nas Eleições de 2018. O partido já tinha anunciado, após o rompimento com o PSL, que seria oposição à candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro [VIDEO]à Presidência da República por não concordar com suas posições em relação a temas como liberalismo econômico, casamento gay e legalização das drogas.

“Defendemos a liberdade por inteiro, na economia e nos costumes, e vamos renovar a política para construir um país livre junto aos brasileiros que mais precisam”, divulgou o Livres via Twitter.

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o PPS estaria disposto a lançar nomes para o pleito de 2018.

Entre as estratégias do partido estaria lançar nomes novos como o do apresentador Luciano Huck e de membros de grupos sociais de destaque, como o Livres, MBL (Movimento Brasil Livre) e RenovaBR.

Aliança com o Novo

O Livres também anunciou que dará liberdade para que membros dos grupos espalhados pelo país possam criar alianças de acordo com as demandas regionais. Fábio Ostermann, um dos líderes do grupo, que anunciou acordo com o partido Novo e irá disputar as eleições pelo estado do Rio Grande do Sul. ”Cada estado definirá qual sigla apresenta o melhor projeto regionalmente”, disse Ostermann.

A maior parte dos membros do Livres migraram para o partido Novo. Mesmo os dois grupos tendo a ideia de liberdade, o Livres se mostra mais libertários.

Enquanto os partidários defendem uma liberdade até nos costumes, o partido Novo não mencionam suas posições em relação a comportamentos sociais.

Alckmin se reúne com Livres

O partido Novo tem uma visão centrada para a questões de temas econômicos. "Não estamos usando nenhum partido como barriga de aluguel. Temos compromissos fixos com esses partidos", disse o presidente do Livres, Paulo Gontijo.

No último sábado (20), o governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência, Geraldo Alckmin (PSDB), se reuniu com a economista do Livres Elena Landau, que já foi filiada ao PSDB para uma aproximação do grupo com o partido do presidenciável.

Direitos humanos

Nessa segunda-feira (22), o presidente do Livres, Paulo Gontijo, disse que os direitos humanos tem viés totalmente liberal e não é "defesa de bandidos" como pensa o deputado Jair Bolsonaro, que se mostra contra as políticas adotada pelos ativistas dos direitos humanos.

Gontijo ainda afirmou que conceitos morais defendido por Bolsonaro são "incompatíveis" com os princípios liberais do grupo.