Na manhã dessa última quinta-feira (25), o Partido dos Trabalhadores (PT), em evento realizado em São Paulo, reafirmou o lançamento da candidatura à Presidência da República de Luiz Inácio Lula da Silva – mesmo após a condenação do petista no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no processo do apartamento tríplex, que está localizado no Guarujá (SP). [VIDEO]

Vale lembrar que, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, nenhum político pode concorrer a cargos políticos se já forem condenados em segunda instância, como foi o caso de Lula.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Sergio Moro

Além disso, com a decisão dos desembargadores do TRF4, o líder petista já pode ser preso a qualquer momento. [VIDEO]

Lula diz que juízes são canalhas

Lula – que foi intimado a entregar o seu passaporte e com isso ficou impedido de viajar para o exterior – também fez uma afirmação polêmica, depois que foi condenado o ex-presidente chamou os magistrados que o condenaram de canalhas.

“Esse senhor aqui (Luis Inácio) não tem nenhuma razão para respeitar a decisão de ontem”, disse o ex-presidente. Lula disse que a decisão dos juízes não vai mudar a sua caminhada rumo à Presidência da República. Ele afirmou que houve a construção de um cartel entre os juízes de primeira instância (Sérgio Moro) e os desembargadores da segunda instância da Lava Jato, para prendê-lo, o que o petista chamou de “alinhamento”. [VIDEO]

“Não posso aceitar que um canalha qualquer neste país me chame de ladrão”, disse o ex-presidente, que explicou não encontrar outra explicação ao fato de sua condenação que não seja um ‘complô’ entre os próprios juízes para que ele fosse condenado.

Lula segue como candidado do PT

Na mesma linha de pensamento, o PT considerou a condenação de Lula como a ‘continuação do golpe’.

“A votação de ontem foi muito mais para valorizar o corporativismo (supostamente existente entre os magistrados)”, afirmou Luiz Inácio. A presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, colocou para votação na executiva da sigla, o nome de Lula como pré-candidato à Presidência, e ele foi aceito como o candidato do partido em votação unânime a favor do alagoano. Ao final da votação, a cúpula do PT afirmou que a direita política brasileira não tem um nome à altura do ex-presidente e que o nome dele vai continuar nas ruas como o principal plano para a retomado do partido com relação ao cargo máximo da política brasileira.

No encontro do PT, estavam presentes Dilma Rousseff, deputados federais, estaduais, senadores, presidentes de diretórios do partido em todo o Brasil, dirigentes de centrais sindicais e dirigentes de movimentos populares no país. Com isso, de acordo com informações, o Partido dos Trabalhadores tenta mostrar para a imprensa e para os adversários que a sigla está unida a favor de Lula.