O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) deu o que falar durante entrevista concedida para o Canal Livre, da TV Bandeirantes. Maia pretende se lançar como candidato à presidência nestas próximas eleições. O político se considera um candidato do centro e no momento busca apoio de aliados para subir no palanque.

Na entrevista para o canal aberto, o presidente da Câmara avaliou sua conduta como o ''principal articulador político'' do Brasil. Mostrando-se direto, Maia disse que pretende participar do projeto para a presidência com toda a garra, fazendo o que tiver que ser feito para assumir o comando. Segundo informações do portal ''O Antagonista'', Maia já teria angariado apoio de cinco partidos políticos.

No entanto, ao falar do ex-presidente Lula e réu em processos na Lava Jato [VIDEO], Maia afirmou que pretender ''acabar de vez'' com o petista. O desejo de Maia é eliminar o caráter ''mito'' de Lula, afastando o ex-presidente, que segundo ele, não teria nenhuma chance na cadeira do Planalto. Maia disse que se ele for realmente disputar a presidência, quer disputar ao lado de Lula, enfatizando que o réu seria facilmente derrotado. As declarações de Maia surgem próximo ao julgamento de Lula pelos desembargadores do TRF-4, que ocorrerá no próximo dia 24. O petista poderá ser condenado em segunda instância.

Rodrigo Maia afirmou que os brasileiros devem ter consciência de ''quem deixou a conta'' em referência à crise econômica instaurada no governo de Dilma. Maia afirmou que os mais atingidos com a crise são os pobres.

Direto, o presidente da Câmara disse que a culpa da situação que o Brasil está agora é de Lula, pois foi ele quem colocou Dilma Rousseff no Poder.

Sobre sua forma de conduzir a política, Maia afirmou que o país precisa de reformas, e não apenas a Reforma da Previdência, mas sim uma reforma do Estado. O possível candidato acredita que o Brasil precisa ''sair da política personalista''. O DEM pretende lançar Maia como o ''único nome que pode unificar o país''.

Lula poderá se tornar inelegível

O ex-presidente será julgado em segunda instância pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4° Região. Lula é acusado pelos crimes de corrupção em lavagem de dinheiro, referentes a um triplex em Guarujá, São Paulo. A defesa de Lula está correndo contra o tempo para angariar mais adeptos ao ex-presidente, que afirma ser inocente de todas as acusações do Ministério Público Federal (MPF) [VIDEO]e Polícia Federal.

Caso seja condenado, Lula poderá ficar inelegível, sendo impossível de se candidatar para as eleições presidenciais de 2018. O petista afirma que ''irá até o fim'' a favor de sua candidatura.