A possível aprovação da Reforma da Previdência ainda é uma grande incógnita. Na última terça-feira (16), Rodrigo Maia [VIDEO](DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, disse não estar otimista para a aprovação do projeto. No mesmo dia, Fábio Ramalho (MDB-MG), vice da Câmara, confirmou as palavras de Maia e afirmou não acreditar na aprovação. Nesta quarta-feira (17), Carlos Marun rebateu a fala de ambos e disse que a reforma da Previdência é o "plano A".

"O plano é A, A de aprovar", fez um joguinho de palavras o ministro.

O secretário-geral do governo insistiu que a reforma precisa ser votada no plenário da Câmara dos Deputados até fevereiro.

E completou dizendo que as informações vindas sobre o número de votos são positivas.

Até Michel Temer rebateu as palavras do presidente e vice da Câmara dos Deputados. Segundo o jornal O Globo, em reunião, o peemedebista afirmou que a aprovação é "essencial".

O objetivo do governo é colocar a reforma da Previdência em votação no plenário da Câmara no dia 19 de fevereiro. Para isso, trabalha mesmo no recesso [VIDEO] com deputados indecisos e pressionando governadores. Marun acredita que com a aprovação na Câmara, já em março o Senado Federal já colocaria em votação.