Um áudio de um militante do Partido Comunista do Brasil (PC do B) está circulando pelas redes sociais e chamando a atenção de todos que ouvem o arquivo de pouco mais de seis minutos [VIDEO] que teria sido encaminhado via WhatsApp. O autor do áudio é Urias Rocha, ex-candidato a vereador pelo PCdoB em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Áudio

Urias Rocha começa cumprimentando as pessoas que estão ouvindo o áudio, provavelmente, em algum grupo do WhatsApp. Ele chama os “companheiros” de “justos e democratas” [VIDEO].

“Quero dizer a todos que estamos perdendo a batalha”, diz Rocha. Em seguida, ele afirma que estão fazendo de tudo para prender Lula sem provas.

O homem afirma que é corretor de imóveis para, na sequência, defender Lula no caso do tríplex do Guarujá.

Segundo Rocha, o score (espécie de crédito na praça) de Lula é de R$ 6 milhões e garante que o ex-presidente poderia ter um apartamento melhor do o tríplex na cidade do litoral paulista.

Para ele, há um cenário jurídico e midiático preparado para condenar Lula. “Nós temos que lutar”, diz ele mais à frente. O homem afirma que se tiver que guerrear, será necessário guerrear.

Em seguida, ele fala em criar guerrilha. “Começar a estourar cabeça de coxinha, de juiz, mandar esses golpistas para o inferno, para os Estados Unidos, nós sabemos que essas pessoas traíram o Brasil”, afirma Urias Rocha.

Entre os traidores, eles afirma que estão a Polícia Federal, 218 deputados que recebem dinheiro dos Estados e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Rocha afirma que Lula pagou o Fundo Monetário Internacional (FMI) e teria tornado o Brasil a quinta potência do mundo.

Ele afirma que se condenarem ou prenderem Lula será a chamada para a revolução. Segundo Urias, muitos países estariam ao lado do Brasil nessa situação.

Ajuda de criminosos

As ideias de Urias Rocha não param por aí. Em determinado momento do áudio, ele diz que para a revolução acontecer eles anistiariam todos os 500 mil presos do Brasil. “Vamos chamar os condenados para estar do nosso lado e pedir rebelião em todos os presídios”, diz. Ou seja, ele quer reconstruir o Brasil contando com a ajuda de criminosos.

Polícia Federal não vai investigar

O homem foi chamado pela Polícia Federal para depor. Diante dos policiais, ele confirmou a autoria do áudio, mas afirmou ser contra qualquer tipo de violência. Urias Rocha não será indiciado pela PF. Os investigadores entenderam se tratar de um crime de menor potencial ofensivo.