Cristiane Brasil (PTB-RJ), a qual foi nomeada a Ministra do Trabalho, mas acabou tendo a sua nomeação suspensa por ordem da Justiça, gravou um vídeo para se defender das condenações trabalhistas contra ela.

Estes processos trabalhistas têm tirado o sono da deputada, pois ela está impedida de exercer o cargo de Ministra do Trabalho por conta destes processos que ainda estão em andamento.

A deputada tomou uma nova atitude no intuito de dar uma reviravolta em sua situação e levantar a sua moral para poder tomar posse do cargo. Cristiane gravou um vídeo em um barco com quatro homens sem camisa ao seu redor.

No vídeo, Cristiane diz que todos têm, sim, o direito de recorrer à justiça para pedir qualquer coisa, desde que sejam solicitações abstratas, ainda mais na Justiça do Trabalho.

Durante o vídeo, ela afirma que não fazia ideia de que ainda tinha dívidas com os dois trabalhadores que entraram com ação trabalhista contra ela. Ela salientou, contudo, que vai provar para todos que ela não tem dívida alguma com os empregados.

Ao longo do vídeo os homens que estavam com ela no barco disseram que todos têm o direito a ação trabalhista e que todos poderiam ter. Cristiane rebate questionando o que se passava na cabeça dessas pessoas que entraram com ações trabalhistas contra ela e seus amigos empresários.

O vídeo foi criticado nas redes sociais e acabou tendo uma repercussão negativa, trazendo um resultado contrário do que a deputada esperava. Cristiane pediu desculpas para as pessoas e acrescentou que foi tudo gravado de forma espontânea, e que o vídeo foi editado fora do contexto por de seus colegas.

PGR diz que cabe ao STF analisar e julgar o caso de Cristiane

A Procuradoria-Geral da República (PGR [VIDEO]) se manifestou a favor de que o Supremo Tribunal Federal (#STF) fique encarregado de analisar os recursos que impedem a nomeação da deputada #Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o cargo de Ministra do Trabalho.

Cristiane foi indicada pelo Presidente da República, Michel Temer, mas teve a sua posse suspensa após a decisão da Justiça. A posse, porém, estava autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas quando o caso partiu para o STF, Cármen Lúcia tomou a decisão de suspender a posse.

A decisão de Cármen, contudo, foi apenas uma decisão provisória e não definitiva. Cristiane foi condenada pela justiça a pagar um alto valor a um de seus motoristas por estar trabalhando sem carteira assinada. Por conta desta ação, ela ficou impedida de tomar posse do cargo de Ministra do Trabalho. #Ministério do Trabalho