O presidente Michel Temer recebeu uma carta da ministra e presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, com várias perguntas sobre uma investigação que envolve o recebimento de propina no setor portuário. Essa seria a terceira denúncia contra o peemedebista e tudo foi protocolado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

As novas suspeitas deixam o presidente em um momento delicado já que é alvo de uma forte investigação, relata a cúpula da Polícia Federal (PF).

Conforme a denúncia, o presidente teria obtido vantagens indevidas para ajudar empresas do setor de portos.

Mesmo assim, ainda não surgiram fortes evidências de corrupção de Temer.

Tudo está sendo apurado. O ex-diretor das Relações Institucionais do Grupo J$F, Ricardo Saud, preferiu manter-se em silêncio em depoimento aos investigadores. Isso acabou colaborando com Temer.

Saud pode saber de muitas coisas e complicar o presidente. Em sua delação, ele havia comentado sobre uma parceria que um ex-assessor de Temer tinha com a empresa Rodrimar. Essa empresa foi uma das mais beneficiadas com o decreto do Governo para o setor dos Portos.

Fúria

O presidente brasileiro foi o responsável em nomear a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para o lugar do Rodrigo Janot, um dos desafetos do seu governo. Porém, Dodge não tem sido muito grata a Temer e tem feito um papel que ganhou elogios contra a corrupção. Ela tem pressionado o STF para que as investigações prossigam e foi uma das que se mostrou indignada com o decreto presidencial de indulto natalino que favorecia presos, inclusive, da Operação Lava Jato.

Com a ajuda da ministra Cármen Lúcia, o decreto foi cancelado e Dodge acabou deixando Temer furioso. O Planalto está muito preocupado com as ações da procuradora-geral e perceberam que ela não está lá para brincadeira.

Impunidade

Raquel Dodge [VIDEO] está sendo uma grande crítica do peemedebista e disse que o decreto dele é apenas uma forma de favorecer a impunidade.

A procuradora também é a favor da prisão em segunda instância, que é um dos instrumentos defendidos pela Lava Jato. Ela torce para que o STF [VIDEO] não mude o seu entendimento caso o assunto volte à pauta da Corte.

Por enquanto, Dodge tem deixado os procuradores da Lava Jato esperançosos com seus trabalhos e ela já mostrou que amizade é diferente de trabalho. Temer poderá sofrer muitos problemas nas mãos dela. A procuradora chegou a ir pra cima até mesmo do ministro Gilmar Mendes, criticando o fato dele soltar presos da Lava Jato em ações monocráticas.