A esquerda política do Brasil já está organizada para que alguns dos partidos lancem os seus próprios candidatos à Presidência da República nas eleições deste ano. É o caso do PCdoB (Partido Comunista do Brasil), que historicamente esteve ao lado do PT nas campanhas, mas já lançou um nome [VIDEO] para concorrer ao cargo máximo do País: Manuela D’Ávila.

A comunista já comunicou, junto com seu partido, que vai concorrer às eleições de 2018, já temendo que o principal nome da esquerda política brasileira, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seja completamente derrotado na Justiça e fique inelegível por ter cometido crime contra o erário público.

No entanto, antes de ser julgado, Lula disse que acredita que os desembargadores não o julguem de forma injusta, ou seja, optando por lado político, mas, sim, segundo o ex-presidente, eles julgarão o caso de acordo com o que há nos autos e, por isso, o petista acredita que vai sair ileso do julgamento. [VIDEO]

Apesar de ser abandonado, Lula diz que vai reorganizar a esquerda

“A credito que a esquerda vai se reunir, não em torno de um candidato, mas em torno de um projeto”, disse o ex-presidente. Ele ainda contou, em sua última declaração antes de ser julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre (RS), que a esquerda política brasileira não pode deixar [VIDEO] que a direita consiga chegar ao poder por causa ‘‘simplesmente’’ do esfacelamento esquerdista, vindo através de uma possível condenação sua no Rio Grande do Sul.

“Não temos direito de permitir que, por razões menores, (vença) a direita”, diz o líder petista, que complementa afirmando que os direitistas não têm candidato à altura para vencer uma eleição à Presidência da República. Ele explicou que a direita do Brasil aceita qualquer coisa “menos o Lula”.

O julgamento de Lula no TRF4 nesta quarta

Nesta quarta-feira, (24), Lula será julgado por três desembargadores: Victor Laus, Leandro Paulsen e João Pedro Gebran Neto. Mas antes do julgamento, Lula fez discurso na capital do Rio Grande do Sul e afirmou que nesse Brasil não existe magistrado mais honesto do que ele.

No entanto, em sua própria fala, o ex-presidente acabou admitindo que errou em algumas vezes com relação a sua administração e junto ao PT. Porém, segundo o ex-presidente, as pessoas são imperfeitas e todo mundo erra, “Porque somos todos seres humanos”, explicou o ex-presidente.

“Eu duvido que nesse país tenha um magistrado mais honesto do que eu”, afirmou Lula, enquanto discursava para um grande público em Porto Alegre antes de ser julgado.