Luiz Inácio Lula da Silva já foi presidente do Brasil por dois mandatos seguidos [VIDEO], mas se depender de sua vontade, ele ainda tem 'pique' para no mínimo mais quatro anos no cargo mais alto do Legislativo brasileiro. O petista conta com o apoio popular, tanto que nas últimas pesquisas de intenção de votos para presidente em 2018, o petista segue vencendo com folga, bem verdade que o deputado federal Jair Bolsonaro tem subido bastante seus índices na pesquisa. Com o apoio popular e um partido forte a sua disposição, o que mais falta para Lula?

Não é segredo para ninguém que o maior obstáculo que o petista poderá enfrentar em 2018, não é nem a ascensão meteórica de Jair Bolsonaro, Geraldo Alckmin ou João Doria do PSDB, ou algum outro possível candidato na corrida presidencial, e sim, o juiz federal Sérgio Moro, líder da Operação Lava Jato.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Política

A seis dias de estar novamente cara-a-cara com Moro, Lula disse estar tranquilo

Como o ex-presidente foi julgado e condenado na primeira instância, no âmbito da Operação Lavo Jato, Luiz Inácio terá novo compromisso frente-a-frente com o líder da Lava Jato, e juiz fedral Sérgio Moro [VIDEO], desta vez o petista terá seu recurso julgado pelo TRF (Tribunal Regional Federal), da 4ª Região, no dia 24 de janeiro na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

O julgamento ainda será sobre o 'famoso' caso do tríplex do Guarujá, Lula foi acusado de ter recebido o apartamento da empreiteira OAS, em troca de vantagens indevidas.

Mesmo com a proximidade do julgamento que pode impossibilitar que o líder do PT se candidate para presidência neste ano, pois se condenado será considerado 'Ficha Suja' o que descaracterizaria sua possível eleição, Lula disse estar bastante sereno e tranquilo, "minha consciência está muito tranquila, pois sei que não fiz nada de errado, e quero que eles saibam que eu estou tranquilo, pois minha tranquilidade vai deixar eles preocupados."

Mesmo com chance de ficar fora da eleição para presidente em 2018, o petista faz revelação surpreendente

O ex-presidente repetiu o que tem dito deste 2014 sobre o ataque que ele e o PT vem sofrendo, "repito o que venho dizendo deste 2014, estão querendo criminalizar o nosso partido, a fim de nos enfraquecermos", disse Lula em São Paulo nesta última sexta-feira (19).

Além de garantir total inocência, o possível candidato ainda garantiu que não interessa o que aconteça na próxima semana durante o julgamento, ele vai estar lá para ajudar a colocar o Brasil nos trilhos novamente, ele ainda foi enfático em dizer que não interessa se ele vai ser o candidato oficial do partido ou somente um cabo eleitoral de peso, mas ele garante que vai estar lá, a fim de ajudar a colocar o Brasil nos eixos novamente.