Num gesto considerado de grande preocupação, alguns deputados federais petistas do estado do Rio Grande do Sul se encontraram, nesta sexta-feira (12), com o presidente do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4) [VIDEO], Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz. O magistrado preside a "Corte de Apelação" ou Tribunal de Segunda Instância, que julgará o processo de condenação do ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio #Lula da Silva, no próximo dia 24 de janeiro, na capital gaúcha.

Vale ressaltar que o ex-mandatário petista responde a práticas criminosas de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Tratando-se do mega esquema de distribuição de propinas na maior estatal brasileira, a Petrobrás, o esquema resultou no desencadeamento da maior operação anticorrupção já implementada em todo o país, a Operação #Lava Jato, da Polícia Federal.

Conduzida em primeira instância, pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, capital do estado do Paraná, o caso agora será levado a segunda instância para aguardar uma possível condenação.

Entretanto, o magistrado paranaense condenou o ex-presidente petista a mais de nove anos e seis meses de prisão, ao recomendar regime fechado, além do pagamento de multas. O processo de Lula poderá ter um desfecho, agora no próximo dia 24 de janeiro, ao ser tema de análise por parte de três desembargadores federais, que poderão confirmar a sentença proferida por Moro ou até modificá-la, seja para a absolvição ou aumento de penalidade.

Carta encaminhada ao presidente do TRF4

Ao recepcionar deputados federais e estaduais, bem como senadores petistas nesta sexta-feira (12), em Porto Alegre, o presidente do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, recebeu uma carta dos parlamentares que estavam presentes no encontro com o magistrado.

Vale lembrar que entre os parlamentares que se encontravam diante do presidente do TRF4, estavam Paulo Pimenta (PT-RS), Maria do Rosário (PT-RS), Marco Maia (PT-RS) e outros.

A carta encaminhada ao presidente Thompson Flores, porém, referia-se à possibilidade de que os parlamentares petistas possam, de acordo com a solicitação, fazer todo o acompanhamento do julgamento do ex-presidente Lula. Deve-se, no entanto, levar em conta de que a sala onde será conduzido o julgamento do petista não é grande, já que possui assentos destinados aos três desembargadores, representantes do Ministério Público Federal e servidores, como também advogados de defesa do réu e espaços pré-determinados para alguns estudantes de Direito. Uma das alternativas aventadas seria acomodar os parlamentares petistas numa sala do Tribunal, com propósito de que acompanhem o julgamento através de transmissão ao vivo em vídeo, por meio de um telão.

Carlos Eduardo Thompson Flores, de acordo com um comunicado do Tribunal, garantiu que "o pedido será, de toda forma, atendido".

Lula responde à acusação do caso tríplex, em que teria angariado dinheiro público ilicitamente através de empreiteiras envolvidas no escândalo de corrupção da Petrobrás. O julgamento do ex-mandatário deverá ser crucial para suas pretensões políticas, já que uma eventual confirmação de condenação o tornaria inelegível, além de sofrer um sério risco de que seja decretada a sua prisão. #Congresso Nacional