Um dos mais "polêmicos" magistrados que integra a mais alta Corte de Justiça do país, o Supremo Tribunal Federal, se envolveu em um episódio extremamente complicado, face às novas investigações apontadas pela Polícia Federal. Trata-se de uma mensagem recebida via WhatsApp no aparelho de celular de um juiz federal do estado do Rio de Janeiro. A mensagem eletrônica atinge diretamente o ministro do Supremo, Gilmar Mendes.

Publicidade
Publicidade

De acordo com as investigações da Superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro, o juiz Glaucenir Oliveira, titular da Vara Criminal de Campos dos Goytacases e que também é o magistrado titular do município supracitado do interior do estado do Rio, está tendo sua conduta apurada.

Ministro do Supremo é um dos alvos de profunda investigação

O juiz Glaucenir Oliveira é o magistrado responsável pela condução das investigações de cunho eleitoral, em se tratando de suposta compra de votos em favorecimento da eleição do ex-governador do estado do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho.

Publicidade

O aprofundamento das investigações da Polícia Federal rememoram a algumas evidências e provas que podem se tornar fundamentais para a elucidação de todo o caso. De acordo com os investigadores federais, a descoberta de uma mensagem eletrônica, cujo áudio foi encaminhado a um grupo do aplicativo WhatsApp e que é, além de tudo, atribuída ao juiz Glaucenir Oliveira, permite que possa ser desmontado todo o "quebra-cabeça", que acarretou, ao final, na soltura para regime de prisão domiciliar, do ex-governador Anthony Garotinho.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Corrupção

Entretanto, um dos fatores que mais impressionou aos investigadores da força-tarefa da Polícia Federal é que a mensagem de áudio encaminhada através do aplicativo WhatsApp se referia a uma séria acusação contra o ministro Gilmar Mendes. De acordo com o conteúdo desvendado, em se tratando da gravação eletrônica, o ministro Gilmar Mendes fora acusado de fazer a concessão de habeas corpus ao ex-governador Anthony Garotinho, em troca de um suposto recebimento de propina, ou seja, recursos ilícitos de caráter ilegal, para que fosse expedido o mandado de soltura do ex-governador fluminense.

Vale ressaltar que a ordem pra que fosse implementada toda essa investigação da Polícia Federal, partiu do Tribunal de Justiça do estado do Rio de Janeiro. Se comprovadas as acusações, inclusive, em relação à conduta do juiz Glaucenir Oliveira, que é o magistrado que comandou as investigações relacionadas ao inquérito aberto contra o ex-governador Anthony Garotinho, as investigações do magistrado carioca estariam altamente sob suspeita, além da concessão de habeas corpus, por parte do ministro Gilmar Mendes, dirigida à obtenção da soltura do ex-governador carioca.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo