A possível presença dos manifestantes no dia 24 de janeiro, dia do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula [VIDEO], deixou o prefeito da cidade de Porto Alegre, Nelson Marchezan (PSDB), preocupado com a segurança dos moradores e os bens públicos e privado da cidade.

O Julgamento de Lula, em segunda instância, está previsto para acontecer no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Por precaução, o prefeito Marchezan solicitou ao Presidente da República, Michel Temer (PSDB), na última terça-feira (3), o apoio da Força Nacional de Segurança (FNS) e do Exército Brasileiro para conter os possíveis atos dos protestantes contra patrimônios públicos e propriedades particulares.

Foi solicitado pela própria defesa do ex-presidente Lula ao TRF-4 que o Julgamento de Lula acontecesse na capital gaúcha. Os desembargadores do tribunal, porém, ainda não deram suas respostas sobre o pedido feito pela defesa do ex-presidente.

Lula comunicou ao PT que vai para capital gaúcha, ainda que ele não seja ouvido pelos desembargadores e ainda disse que chegará um ou dois dias antes do dia do julgamento para participar das manifestações que estão sendo promovidas pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

O prefeito Marchezan divulgou nas redes sociais uma íntegra do ofício que foi enviado para o Planalto solicitando o apoio das tropas. Segundo o prefeito, o auxílio do Exército na segurança da população, e também proteção das propriedades públicas, será fundamental, caso os atos ofereçam perigo à ordem pública e à integridade dos cidadãos.

No documento, o prefeito alega também que os manifestantes estão organizando um grande movimento através das redes sociais, e que os mesmos irão ocupar os espaços públicos municipais, havendo a possibilidade de ocorrer alguma desobediência civil.

O prefeito alegou ainda que é necessária a segurança no local, pois o TRF-4 fica localizado em um parque municipal da cidade. Os advogados de Lula já recorreram da sentença, mas não obtiveram sucesso, se o ex-presidente for condenado neste próximo julgamento ele ficará impedido de concorrer às eleições em 2018, podendo até mesmo ter prisão decretada.

Lula tem liderado as pesquisas de intenções de votos na disputa para a Presidência da República. Enquanto isso, o PT está preparando eventos além do ato em Porto Alegre, na qual um deles começará no próximo dia 13, e terá como tema “Dia Nacional de Mobilização” e se estenderá até o dia 25 do mês corrente.

Gleise Hoffmann fala sobre a atitude do prefeito de Porto Alegre

A senadora Gleise Hoffmann [VIDEO] (PT) descreveu a atitude do prefeito de Porto Alegre como "inacreditável" e que o prefeito deveria estar com muito medo do povo para fazer tal pedido a Temer.

A Senadora usou sua conta no Twitter para manifestar sua indignação a respeito do pedido feito pelo prefeito de Porto Alegre. "Quem está mesmo destruindo o patrimônio público e agredindo as pessoas é o governo golpista apoiado pelo prefeito", disse em publicação na rede social.