Um dos mais respeitados promotores da Região Norte do país, o procurador-geral da Justiça do estado do Pará, Gilberto Valente Martins, se manifestou, de modo contundente, em relação à situação enfrentada pela maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea do país e uma das maiores já desencadeadas em todo o mundo; a Operação Lava Jato [VIDEO], da Polícia Federal.

Vale lembrar que a força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato é conduzida em primeira instância, pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná e é responsável pela apurações inerentes ao maior escândalo de Corrupção na história do Brasil, o que acabou acarretando a "sangria" dos cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobrás e resultou na prisão e condenação de vários políticos, empresários e doleiros, operadores do esquema de distribuição de propinas.

Dentre um dos condenados mais famosos, está o ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva, no âmbito da Lava Jato, cuja sentença proferida pelo magistrado paranaense, se refere à prática de crimes de "colarinho branco", em se tratando de lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Futuro da Lava Jato em 'jogo'

De acordo com afirmações dadas durante uma entrevista à imprensa, pelo procurador-geral da Justiça do estado do Pará, Gilberto Valente Martins, o futuro da Operação Lava Jato pode ser considerado ainda, "permeado de incertezas", nas palavras do próprio procurador-geral paraense. Gilberto Valente Martins foi ainda mais longe em sua análise, em se tratando de suas considerações, já que o mesmo afirmou categoricamente, que em meio à profusão de escândalos de corrupção e denúncias, podem ser mencionadas algumas "tentativas relacionadas à sabotagem, ora de ordem jurídica, ora de caráter político".

Toda a rede corruptiva que se encontra "paulatinamente escrachada", acabou desvelando negócios considerados ilícitos de ordem jurídica, como por exemplo, ao se incluir fundos de pensão, empreiteiras, estatais, bancos públicos, ministérios e partidos políticos.

Entretanto, o procurador-geral do Pará afirmou que consegue verificar um aspectos considerado altamente promissor para este ano de 2018, quando a Lava Jato estará completando quatro anos de existência. Embora tudo caminhe a passos lentos, segundo Martins, "a implantação do sistema sólido da democracia vem se aperfeiçoando cada vez mais , após as feridas relacionadas ao controle econômico do Poder". Um dos fatos que pode ser considerados de grande relevância, é o sucesso do filme "Polícia Federal - A Lei é para Todos", inspirado na Lava Jato, angariou a maior bilheteria em se tratando de filmes nacionais.